Trajetórias de pesquisadoras com foco em humanização do parto são analisadas em pesquisa qualitativa

Setembro/2020

Foto de Jose Octavio Zavala Soto. Fonte: Wikipedia.

As trajetórias de pesquisadoras que produziram teses ou dissertações sobre humanização do parto e nascimento em programas de pós-graduação brasileiros são o tema de uma pesquisa qualitativa discutida em artigo nesta edição da revista HCS-Manguinhos (v. 27, n. 2, abr./jun. 2020).

Ana Maria Bourguignon, doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Estadual de Ponta Grossa Brasil, e Marcia Grisotti, coordenadora do Núcleo de Ecologia Humana e Sociologia da Saúde da Universidade Federal de Santa Catarina, embasaram-se no referencial teórico foucaultiano para identificar as posições ocupadas pelas pesquisadoras no discurso em prol da humanização, seus lugares de enunciação e as relações de saber e poder que permeiam a construção do movimento pela humanização do parto e nascimento no Brasil.

Leia em HCS-Manguinhos:

“A humanização do parto e nascimento no Brasil nas trajetórias de suas pesquisadoras”, artigo de Ana Maria Bourguignon e Marcia Grisotti (v. 27, n. 2, abr./jun. 2020)

Leia também:

Parto natural, mas sob cuidados médicos
No artigo “Métodos de preparação para o parto: um estudo sobre materiais impressos publicados no Brasil em meados do século XX”, pesquisadores de Viçosa (MG), Vitória (ES) e do Rio de Janeiro (RJ) discutem a difusão das práticas de parto natural por livros escritos por obstetras

Os percursos do parto nas políticas de saúde no Brasil por suas testemunhas
Em entrevista publicada em HCS-Manguinhos (v. 26, n.1, jan./mar. 2019), Marcos Augusto Bastos Dias e Maria do Carmo Leal discutem os percursos que colocaram o parto na pauta das políticas públicas brasileiras

Historiadora estuda a medicalização do parto através dos manuais de obstetrícia
A historiadora Lucia Regina de Azevedo Nicida estuda quais cuidados, procedimentos e indicações de intervenções aparecem nos manuais de obstetrícia publicados no Brasil entre 1980 e 2011

A transnacionalização do parto normal no Brasil: um estudo das últimas cinco décadas
A trajetória histórica do parto normal não se restringiu às fronteiras nacionais, tendo padrões e recomendações transnacionais impactando localmente, ao direcionar a criação de novas regulamentações. Leia artigo em HCS-Manguinhos.

Casa de Parto David Capistrano Filho: educação e acolhimento
Entre 2005 e 2017, a fotografa Adriana Medeiros registrou o dia-a-dia do local em Realengo, zona oeste do Rio de Janeiro

Artigo analisa embates científicos e morais sobre maternidade e parto no Boletim da LBA de 1945 a 1964
Bruno Sanches Mariante da Silva aponta a desqualificação das parteiras e comadres e a exaltação do discurso médico

Artigo discute o uso da ocitocina sintética para acelerar partos a partir da década de 1950
Pesquisadores fazem análise a partir de levantamento de dois periódicos brasileiros de obstetrícia da época

Parteiras e médicos concorriam por partos no Rio no fim do séc. XIX
Até os anos 1870, parteiras dominavam a arte de partejar na Corte, mas perderam espaço para médicos

HCS-Manguinhos traz dossiês sobre parto e mortalidade infantil
Acesse a edição completa

A cesariana como parto ‘normal’
Artigo analisa como o livro Obstetrícia, de Jorge de Rezende, estimulou a apropriação e o desenvolvimento das técnicas de cesariana pelos médicos no Brasil

O parto no Peru nos primórdios republicanos
Autor de artigo em HCS-Manguinhos, o historiador Adam Warren deu entrevista para o blog em inglês

A casa de parto como local de nascimento: contextualização da casa de parto do Rio de Janeiro, artigo de Ilana Löwy (v.25, n.4, out./dez. 2018)

Exposição em homenagem a mulheres no campo da saúde é tema de artigo em HCS-Manguinhos
Inaugurada no Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul no dia 8 de março de 2008, “Mulheres e práticas de saúde” retrata a vida e o ofício de parteiras e médicas na atuação obstétrica

Biomedicalização de corpos brasileiros
Esta edição de HCS-Manguinhos aborda diagnósticos, tratamentos e práticas que transformam vidas, sobretudo de mulheres

Saúde reprodutiva, triste realidade
Cassia Roth, da Universidade da Califórnia em Los Angeles, relaciona as políticas voltadas para a reprodução no Brasil há um século e a situação atual.