Tráfico de brancas pelo porto do Rio de Janeiro na passagem do século XIX é tema de palestra

Agosto/2014

Rio de Janeiro em 1877. Foto de Marc Ferrez

Rio de Janeiro em 1877. Foto de Marc Ferrez.

No final do século XIX e início do XX, o porto do Rio de Janeiro era um dos principais destinos das rotas migratórias que se deslocavam da Europa para a América do Sul. Com embarques em portos como Porto (Leixões), Vigo, Marselha, Bordeaux, Havre, Málaca e outros, milhares de imigrantes chegavam ao Rio com perspectivas e objetivos variados. Nos bastidores desses fluxos migratórios, circulavam indivíduos já afeitos ao crime, com destaque para os cáftens (agentes do tráfico internacional de mulheres destinadas à prostituição).

“O porto do Rio de Janeiro e o tráfico de brancas: reflexões sobre processos de bastidores” é o tema da palestra que a professora de História da Uerj Lená Medeiros de Menezes ministrará na terça-feira, 26 de agosto, às 18 horas, na Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio. Lená falará sobre os deslocamentos e rotas de longa distância e a circulação no Cone Sul.

A palestra é parte da série “A cidade e o porto”, do programa História e culturas urbanas, promovido pela Fundação Casa de Rui Barbosa e a Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A próxima palestra será em 30 de setembro. Fernanda Sánchez, professora de Arquitetura e Urbanismo da UFF, falará sobre “Gramáticas territoriais no Porto Maravilha”.

Serviço:

“O porto do Rio de Janeiro e o tráfico de brancas: reflexões sobre processos de bastidores”
Lená Medeiros de Menezes
Terça-feira, 26 de agosto, às 18 horas
Sala de Cursos – Fundação Casa de Rui Barbosa
Rua São Clemente, 134 – Botafogo
Entrada franca
Concede-se certificados, a pedidos.
Mais informações:
Tel. 21 3289 8616
www.casaruibarbosa.gov.br
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *