Do Maracanazo ao Mineiratzen

Historiador e sociólogo têm visões diferentes sobre a derrota do Brasil em casa.

Pane geral: tudo não passou de um mau jogo

Para o historiador Victor Andrade de Melo, o Mineiratzen e o Maracanazo não podem ser comparados

O legado que se espera é uma profunda revisão do futebol brasileiro

Para o sociólogo Mauricio Murad, obrigação de redimir a derrota de 1950 foi equívoco que pesou nas costas dos jogadores.

Uma megafesta com legado superestimado

Poucos países ou cidades conseguem efeitos positivos duradouros sediando grandes eventos, afirma o professor Rory Miller, fundador do MBA A Indústria do Futebol da Universidade de Liverpool

‘A Copa é o melhor momento de expressar o inconformismo com as nossas insatisfações’

Para o jogador e médico Afonsinho, o Brasil não está aproveitando uma oportunidade extraordinária

Arquivo Nacional em ritmo de Copa

Exposição virtual Drama e Euforia: o Brasil nas Copas de 50 a 70 traz fotos do Correio da Manhã e da Agência Nacional

‘O x da questão não está na reação do jogador, mas no teor da campanha’

Para Clícea Maria Miranda, associação do negro com animalização e a irracionalidade está cristalizada.

Macacos não jogam futebol

Ricardo Waizbort inocenta Darwin de acusações de racismo: ele defendia que todas as “raças” humanas faziam parte de uma mesma espécie e compartilhavam de um ancestral comum primata.