Tipos corporais, miscigenação e regionalismo

Pesquisas biotipológicas buscavam determinar o tipo corporal do brasileiro nos anos 1930

Eugenia latina em contexto transnacional

Número especial discute a persistência de práticas eugênicas após a II Guerra e a desestruturação da eugenia como movimento organizado

Autoritarismo, eugenia punitiva e nacional-catolicismo em Franco (1936-1945)

Publicado no número especial sobre eugenia de HCS-Manguinhos, artigo de Ricardo Campos, do Instituto de História/CSIC, Espanha, discute elementos que moldaram a eugenia nos primeiros anos da ditadura de Franco.

Entre a eugenia germânica e a latina: Portugal, 1930-1960

Teorias latinas foram mais influentes do que as alemãs em meados do século passado

Eugenia na escola: inclusão marginalizadora

Historiador e brasilianista, Jerry Dávila discutiu as relações raciais e eugênicas na educação brasileira em entrevista concedida a Leonardo Dallacqua de Carvalho e Igor Nazareno da Conceição Corrêa e publicada nesta edição de HCS-Manguinhos

Projeto internacional recebe textos sobre raça e medicina na história mundial

O blog Nursing Clio publica textos de 500 a 1200 palavras sobre como a raça tem influenciado tratamentos, práticas de cura e percepções de saúde e do corpo

Revista britânica publica artigo sobre biotipologia no Brasil na Era Vargas

Ana Carolina Vimieiro Gomes traça a ascensão e a difusão das práticas de classificação corporal de pessoas de 1930 e 1945

21 de março: Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial

Veja uma seleção de artigos sobre teorias raciais e racismo em HCS-Manguinhos

Eugenia, educação e políticas públicas no Brasil

O historiador Jerry Davila explica que pensamento eugênico refletia-se nas práticas escolares e nos valores vigentes numa sociedade altamente discriminatória.

Brasil, 1922: independente, civilizado e branco?

1922: independente, civilizado e branco?">

Exposição do Centenário da Independência vendia imagem elitista do país