Sobre escravos e genes

Janeiro/2015

Qual contribuição a genética pode trazer à história da escravidão e aos debates sobre políticas de ação afirmativa que tencionam reparar iniquidades raciais? Por que sua legitimidade é colocada em xeque por diversos cientistas sociais e muitas tentativas de contribuição são recebidas de maneira morna no campo da história?
Elena Calvo-González. Foto: Agência de Notícias em C,T e I da UFBA

Elena Calvo-González.
Foto: Agência de Notícias em C,T e I da UFBA

A antropóloga Elena Calvo-González, da Universidade Federal da Bahia, sugere que a centralidade analítica das “origens” nessas contribuições da genética e seu contraste com a centralidade da noção de “processo” no campo das humanidades pode ter a resposta a algumas dessas perguntas. Para isso, analisou a produção, do final do século XX ao início do século XXI, de alguns geneticistas que se propuseram a subsidiar, mediante a análise da presença das diferentes variantes da Hemoglobina S em diversas regiões do Brasil, os debates sobre a história da escravidão no Brasil e sobre a identidade “étnica” da população no país. A autora argumenta que a intenção desses geneticistas de contribuir com outras áreas de estudo esbarra na incompreensão das diferenças epistemológicas e quanto ao tipo de conhecimento que cada área produz, assumindo, implicitamente, “a possibilidade de transpor o mesmo processo epistemológico, de objetivos e conclusões, de uma ciência natural para as humanidades e ciências sociais”. Essa discussão sobre as diferentes epistemologias, segundo a autora, remonta ao século XIX e ao início do século XX, e mantem-se atual para poder esclarecer muitos dos equívocos e confusões referentes à capacidade das ciências naturais de dissertar sobre os objetos das ciências humanas. O artigo “Sobre escravos e genes: ‘origens’ e ‘processos’ nos estudos da genética sobre a população brasileira“, da autoria de Elena Calvo-González, acaba de ser publicado na revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos (vol.21, no.4, out./dez. 2014). Contato com a autora: Elena Calvo-González elenasemaga@gmail.com Acesse o sumário da edição (vol.21, no.4, out./dez. 2014) Leia também em HCS-Manguinhos: Lopez-Beltran, Carlos and Deister, Vivette Garcia. Aproximaciones científicas al mestizo mexicanoHist. cienc. saude-Manguinhos, Jun 2013, vol.20, no.2, p.391-410. ISSN 0104-5970 Rotondaro, Tatiana Gomes. Human action in a Genomic Era:debates on human natureHist. cienc. saude-Manguinhos, Mar 2009, vol.16, no.1, p.157-170. ISSN 0104-5970  

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *