Simone Kropf e Joel Howell publicam artigo sobre Frank Wilson e a cardiologia brasileira durante a II Guerra

Janeiro/2018

Simone Kropf e Joel Howell. Foto de Roberto Jesus Oscar.

A diplomacia cultural americana desempenhou um papel fundamental na institucionalização da cardiologia brasileira. Em 1942, Frank Wilson, pioneiro em eletrocardiografia reconhecido internacionalmente, realizou uma longa visita ao Rio de Janeiro e São Paulo em tempos de guerra. A visita foi patrocinada pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos como parte da política de boa vizinhança de Roosevelt e trouxe Wilson junto com um grupo de médicos que estabeleceriam a especialidade da cardiologia no Brasil.

No artigo War, medicine, and cultural diplomacy in the Americas: Frank Wilson and brazilian cardiology (Guerra, medicina e diplomacia cultural nas Américas: Frank Wilson e a cardiologia brasileira), publicado em outubro de 2017 no Journal of the History of Medicine and Allied Sciences, os autores Simone P. Kropf, da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz/Brasil), e Joel D. Howell, da Universidade de Michigan (UM/EUA), afirmam que a iniciativa cultural e diplomática dos EUA reforçou uma rede acadêmica que já estava evoluindo e acabaria por se provar benéfica para ambos os lados: enquanto a afiliação com a “escola Wilson” impulsionou a causa dos cardiologistas brasileiros que procuravam se estabelecer como especialistas, a cooperação com médicos latino-americanos beneficiou Wilson na sua busca por maior reconhecimento por suas inovações no uso de eletrocardiografia (ECG).

A publicação é a primeira coautoria resultante da colaboração da UM com a Fiocruz. Em 2012, foi assinado acordo de cooperação da universidade americana com a Fiocruz envolvendo diversas áreas de pesquisa e ensino, entre as quais a história da medicina, saúde e ciências humanas. No âmbito do Center of Latin American and Caribbean Studies da Universidade de Michigan, a “Brazil Initiative” é coordenada por Alexandra Minna Stern, professora do Departamento de História desta universidade, e por Gilberto Hochman, docente do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da COC. Em 2013, foi realizado na Fiocruz o primeiro encontro entre pesquisadores de ambas as instituições, com apresentação das respectivas áreas de pesquisa e discussão de temas e perspectivas de cooperação.

Leia o artigo:

War, medicine, and cultural diplomacy in the Americas: Frank Wilson and brazilian cardiology, de Simone P. Kropf e Joel D. Howell (Journal of the History of Medicine and Allied Sciences, Volume 72, Issue 4, 1 October 2017

Leia mais:

Curso de História da Medicina traz professor da Universidade de Michigan à Fiocruz
Joel Howell esteve no Rio em 2014

 

Leave a Reply