‘Se mudarmos a forma de avaliar a ciência, mudamos a forma de entender e valorar a publicação científica’

Julho/2015

Bruno C. Dias | Portal Abrasco

Maurício Barreto. Foto: Leonardo Sá/Porã Comunicação

Maurício Barreto. Foto: Leonardo Sá/Porã Comunicação

Membro da The World Academy of Sciences (TWAS), da Associação Brasileira da Ciência (ABC), e um dos mais profícuos pesquisadores da Saúde Coletiva, Maurício Barreto tem acompanhado de perto o debate sobre o papel da produção científica no mundo e alerta: se universidades e centros de fomento não abandonarem o atual modelo de avaliação, baseado unicamente na quantidade de publicações e citações, a própria ciência tende a ampliar o fosso que a aparta do resto da sociedade. “Cada vez mais a consciência de que esse modelo baseado em índices e fatores de impacto não demonstram a importância do desenvolvimento científico e dos efeitos da ciência, o que exige esforços de propor e apresentar alternativas”.

Para ele, é fundamental que a academia tome para si o compromisso social da produção do conhecimento. Barreto não fica apenas nas palavras. A partir de seu estudo pioneiro sobre os impacto do Bolsa Família sobre a mortalidade infantil e demais aspectos do ciclo vital e de desenvolvimento, o governo federal, na figura do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Universidade de Brasília (UnB) e a Universidade Federal da Bahia (UFBA) assinaram ano passado um acordo de cooperação técnica que possibilitará a realização de um estudo de coorte baseado nos dados de cerca de 100 milhões de brasileiros que se beneficiam dos programas sociais e compõem a base de dados do Cadastro Único (CadÚnico).

Para o Portal Abrasco, ele fala do desafio da avaliação, da crise que já se abate sobre o custeio dos programas de pós-graduação, do debate sobre o produtivismo e do papel da ciência, temas que abordará em palestras e mesas redondas durante o Abrascão 2015. “O Abrascão é uma caixa de ressonância, por isso é vital falarmos de avaliação. Temos a oportunidade de pensar sobre a avaliação numa visão múltipla”, afirma Barreto. Leia a entrevista e confira ao final a programação.

Fonte: Portal Abrasco

Leia no Blog de HCS-Manguinhos:

Hebe Vessuri discute publicação científica e desenvolvimento na América Latina
Antropóloga deu a aula inaugural do ano letivo da Fiocruz, cujo tema foi “Ciência, sociedade e política de publicação”

Desempenhos comparados
Estudo indica que bolsistas cujos projetos são selecionados por avaliação por pares publicam mais em revistas com maior fator de impacto, informa a revista Pesquisa Fapesp

Transformando a comunicação científica
Editor da revista PLoS One fala sobre como os critérios inovadores de publicação do periódico estão modificando a forma como as pesquisas são divulgadas e avaliadas

Postura isenta e generosidade para um bom parecer
Nelson Sanjad discute o papel do parecerista na comunicação científica em entrevista aos editores de HCS-Manguinhos.

Saturação dos revisores por pares em questão
Artigo do blog SciELO em Perspectiva

Como se apresenta o futuro da revisão por pares?
Entrevista do blog SciELO em Perspectiva com Janet Seggie, editora chefe do Health and Medical Publishing Group e editora do South African Medical Journal

Desafios aos editores da área de humanidades no periodismo científico e nas redes sociais: reflexões e experiências, artigo de Jaime L. Benchimol, Roberta C. Cerqueira e Camilo Papi em Educação e Pesquisa (v. 40, n. 2, abr./jun. 2014)

Redes sociais e periodismo científico: desafios aos editores
Em entrevista ao Blog do Scielo, Jaime Benchimol, editor de HCS-Manguinhos, afirma que as publicações online são um ‘must’.

Você compartilha, eu curto e nós geramos métricas
Atila Iamarino fala sobre periódicos e comunicação científica no blogSciELO em Perspectiva

Internet: alto potencial, baixo custo
Para Atila Iamarino, em tempos de internet, a produção e curadoria de conteúdo passa em parte para os usuários, e os periódicos devem se adaptar.

Leia em HCS-Manguinhos:

A ciência e seus públicos – Suplemento temático. Volume 20, nov. de 2013.

 

 

 

Leave a Reply