Saúde do trabalhador em revista

Maio/2015

Ocorrem anualmente 270 milhões de acidentes de trabalho em todo o mundo, dos quais 2,2 milhões resultam em mortes, de acordo com dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT). No Brasil, segundo o relatório de 2013, são 1,3 milhão de casos. As principais causas são o descumprimento de normas básicas de proteção e más condições nos ambientes e processos de trabalho.

Implantada em agosto de 2012, a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora visa a redução da morbimortalidade decorrente dos modelos de desenvolvimento e dos processos produtivos com ações de promoção, vigilância, diagnóstico, tratamento, recuperação e reabilitação da saúde.

Esta política apoia-se na atuação dos Centros Estaduais e Regionais de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), cuja criação resulta de luta dos movimentos sociais. Os Cerests estaduais e regionais devem promover a melhora das condições de trabalho e da qualidade de vida do trabalhador por meio de ações de prevenção e vigilância. Também cabe aos Cerests o papel de integrar a rede de serviços de saúde do SUS, assim como suas vigilâncias e gestão, buscando incorporar a saúde do trabalhador na rotina de trabalho.

Já existem pelo menos 210 Cerests no Brasil, a maioria no Sudeste (veja tabela no fim desta apresentação em PDF). O desafio é a criação de novos e o fortalecimento dos existentes.

Leia em HCS-Manguinhos: Ramacciotti, Karina Inés. Transnational dialogues between specialist and institutional knowledge in occupational accident legislation, first half of the twentieth century. vol.22, no.1, mar 2015. Abrantes, Vera Lucia Cortes.  O arquivo fotográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e o olhar de Tibor Jablonszky sobre o trabalho feminino. vol. 20, n. 1, 2013. Gudiño Cejudo, María Rosa. Un recorrido por el acervo filmográfico de la Secretaría de Salud de México. vol.19, no.1, mar 2012. Biernat, Carolina and Ramacciotti, Karina La protección a la maternidad de las trabajadoras en Argentina: aspectos legales y administrativos en la primera mitad del siglo XX. vol.18, supl.1, dez 2011. Hennington, Élida Azevedo and Monteiro, Márcia O perfil epidemiológico dos acidentes de trabalho no Vale dos Sinos e o sistema de vigilância em saúde do trabalhador. vol.13, no.4, dez 2006. Porras Gallo, Maria Isabel. La medicina y los seguros en el abordaje del problema de los inválidos del trabajo en España en la primera mitad del siglo XX. vol.13, no.2, jun 2006. Martínez-Pérez, José. El obrero recuperado: medicina del trabajo, ortopedia y tecnología médica en la imagen social de las personas con discapacidades (España, 1922-1936). vol.13, no.2, jun 2006. Leia no blog de HCS-Manguinhos:
A saúde no contexto global Primeira edição de HCS-Manguinhos de 2015 traz os dossiês ‘Bioética e diplomacia em saúde’ e ‘Saúde internacional/saúde global’

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *