Rio, 450 anos de história

Março/2015

Memoria_da_destruicao

‘Memória da destruição: uma história que se perdeu’ é um dos títulos da Coleção Memória Carioca

Em comemoração aos 450 anos do Rio, vale visitar no site do Arquivo Geral da Cidade a Biblioteca Carioca e a Coleção Memória Carioca.
A Biblioteca Carioca, criada em 1986, foi responsável pela publicação de 44 livros até 2001, tendo prestado grande contribuição aos estudos e à literatura especializada sobre o Rio de Janeiro. Deste acervo bibliográfico constam teses de mestrado e doutorado sobre a história da cidade, um instrumento de pesquisa sobre Aforamentos, dois catálogos das obras de João do Rio e do fotógrafo Augusto Malta, duas obras de ficção, uma obra contendo fotografias sobre os protestos de 1968, além de livros de cronistas que tomaram o Rio de Janeiro como tema ou cenário de suas criações. Os títulos que compõem a coleção ou foram premiados no Concurso Carioca de Monografias ou indicados pelo seu Conselho Editorial. Os textos estão disponíveis em PDF.
Extinta a Biblioteca Carioca, a iniciativa foi retomada pela direção do Arquivo da Cidade, porque havia deixado uma lacuna muito grande e pesquisadores, estudantes e interessados reivindicaram o seu retorno. Foram, então, publicadas  mais obras, sob o selo Memória Carioca. Acesse os arquivos disponíveis em PDF.

E em HCS-Manguinhos, histórias que se passaram no Rio…

“A multidão é louca, a multidão é mulher” : a demofobia oligárquico-federativa da Primeira República e o tema da mudança da capital, artigo de Christian Edward Cyril Lynch (vol. 20 no.4, out./dez. 2013)

Revisitando a espanhola: a gripe pandêmica de 1918 no Rio de Janeiro, artigo de Adriana da Costa Goulart (v.10  supl.1, 2003)

A monument to Lazarus: the leprosy hospital of Rio de Janeiro, artigo de Thomas Hunter Smith III (v.10 supl.1, 2003)

Leia no blog de HCS-Manguinhos:

IMS expõe as primeiras fotos do Rio
São 450 imagens de fotógrafos como Abraham-Louis Buvelot, Georges Leuzinger, Revert Henri Klumb, Marc Ferrez e Augusto Malta

Fortes e fortalezas da Baía da Guanabara em circuitos turísticos
Projeto coordenado por Roberto Bartholo, chefe do Laboratório de Tecnologia de Desenvolvimento Social da Coppe/UFRJ, pretende estreitar laços com a população.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *