Rapidez: desafio para a comunicação científica

Setembro/2018

Roberta Cardoso Cerqueira* e Thaiane Moreira de Oliveira** Especial para o Blog de HCS-Manguinhos Acompanhar as mudanças que vêm acontecendo na comunicação científica nos últimos anos talvez seja um dos maiores desafios para editores e profissionais envolvidos na publicação de revistas científicas. Há algum tempo que o processo editorial ficou mais complexo e representa mais do que simplesmente receber o artigo, encaminhá-lo à revisão por pares e depois publicá-lo. O desenvolvimento da internet tornou mais ágil, mas não mais fácil, o processo de publicação. Indexações, circulação da pesquisa de forma mais rápida, transparência nos processos editoriais, índices de impacto – já tão questionados, mais ainda utilizados como parâmetros para aferir qualidade das revistas – métricas, revisão por pares, plágio, divulgação, acesso aberto e mais recentemente questões como ciência aberta e publicação contínua têm feito parte do cotidiano dos que estão envolvidos nos processos de publicação acadêmica. Estamos diante não só de uma maior e melhor utilização do ambiente da web, das ferramentas digitais, mas de uma transformação na forma de produção do trabalho acadêmico e uma mudança de paradigma em relação à comunicação da ciência¹. É sobre esse rico e complexo universo da comunicação científica que pesquisadores, editores e profissionais de diversas regiões do mundo estarão reunidos entre os dias 24 e 28 de setembro, em São Paulo, para o evento de celebração dos 20 anos do Scielo. De acordo com Abel Packer, a programação se divide em dois eixos: o primeiro se propõe a discutir a relevância do próprio projeto Scielo, e o segundo, a transição para um modelo de comunicação científica baseado na ciência aberta². Estes dois eixos foram subdivididos em grupos de trabalho que se reuniram antes do congresso e cujo objetivo foi produzir textos, organizar uma bibliografia e levantar material acerca das temáticas pelas quais cada grupo ficou responsável e subsidiar as discussões que ocorrerão ao longo do evento. O grupo de trabalho do Painel 3.1 “Comunicação rápida: preprints, peer-review, publicação contínua”, coordenado por Thaiane Moreira de Oliveira, buscou debater os principais desafios da mudança na comunicação científica no que concerne à revisão por pares, a questão dos preprints e o processo de publicação contínua. Foram identificadas iniciativas de preprints e quais seriam as vantagens e desvantagens da adoção desta modalidade de publicação. A rapidez na disseminação dos resultados de pesquisa, o próprio feedback dos pesquisadores e a possibilidade de acompanhamento das discussões, a comunicação mais célere como capaz de atrair também maiores investimentos das agências de fomento, além da garantia da autonomia da pesquisa foram aspectos a favor de sua adoção. Como pontos desfavoráveis, a própria resistência da comunidade científica em mudar sua cultura, o autoplágio e a duplicidade de conteúdo³. Com o objetivo de ouvir um dos elos importantes no processo de publicação, uma pesquisa foi realizada com os editores de Portais de Periódicos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Federal Fluminense (UFF). Questões como se um artigo publicado em preprint inviabilizaria sua avaliação por duplo cego quando encaminhado a um periódico, se a revista pode continuar usando o modelo duplo cego e aceitar a publicação de preprints, se editores podem acessar as plataformas de preprints e convidarem autores para publicarem em sua revista, entre outras, foram apresentadas, e a expectativa é que ao longo do evento eles possam ser discutidos com outros editores. Estas perguntas e respostas estão disponíveis na lista de discussão do painel e os resultados das pesquisas realizadas serão apresentados no dia 26 de setembro pela coordenadora do painel, Thaiane Oliveira. A proposta dos organizadores do evento Scielo 20 anos é de reunir todo material produzido pelos grupos de trabalho e apresentações e publicar um documento que possa servir de consulta e diretriz para a política científica de publicação acadêmica tanto no Brasil como internacionalmente. O trabalho de pesquisa e produção de textos do grupo foi uma ótima oportunidade para a troca de experiências e para o aprofundamento em temas relevantes presentes no exercício de nossas atividades cotidianas.  Você também pode participar da discussão, enviando sua pergunta para o painel. Estaremos à disposição durante o evento para conversar e compartilhar com todos o aprendizado destes últimos meses.  Até breve! * Roberta Cardoso Cerqueira é editora-executiva de HCS-Manguinhos e doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz, Fiocruz * * Thaiane Moreira de Oliveira é professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense, coordenadora do Fórum de Periódicos e Comunicação Científica da Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação da UFF e coordenadora do Laboratório de Investigação em Ciência, Inovação, Tecnologia e Educação (Cite-Lab). Notas:
  1. OLIVEIRA, T. Quanto tempo leva para fazer ciência? A emergência do tempo na comunicação científica [online]. SciELO em Perspectiva, 2018 [viewed 23 September 2018]. Available from:https://blog.scielo.org/blog/2018/07/06/quanto-tempo-leva-para-fazer-ciencia-a-emergencia-do-tempo-na-comunicacao-cientifica/
  2. PACKER, A.L. SciELO 20 Anos e o futuro dos periódicos: opine, comente, questione [online]. SciELO em Perspectiva, 2018 [viewed 23 September 2018]. Available from:https://blog.scielo.org/blog/2018/07/31/scielo-20-anos-e-o-futuro-dos-periodicos-opine-comente-questione/
  3. VELTEROP, J. Comunicação e avaliação por pares devem ser universalmente separados [online]. SciELO em Perspectiva, 2018 [viewed 23 September 2018]. Available from:https://blog.scielo.org/blog/2018/05/25/comunicacao-e-avaliacao-por-pares-devem-ser-universalmente-separados/

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *