Quatro décadas de programas de saúde nas escolas

Junho/2015

Saude_escola_Elza_Fiuza_ABR

Hábitos saudáveis também são aprendidos na escola.
Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

Temas relacionados à saúde humana tradicionalmente fazem parte do cotidiano escolar no Brasil desde os primeiros anos de escolarização. Ações voltadas à saúde são comumente desenvolvidas nas escolas, por atingirem grande número de indivíduos e por terem caráter educativo, favorecendo mudanças de comportamentos e hábitos. A obrigatoriedade do desenvolvimento de programas de saúde nas escolas passou a vigorar em 1971. No artigo A saúde na escola: análise dos documentos de referência nos quarenta anos de obrigatoriedade dos programas de saúde, 1971-2011, publicado em HCS-Manguinhos (vol.22, no.2, abr./jun. 2015), os pesquisadores Paulo Henrique Nico Monteiro, do Instituto Butantan, e Nelio Bizzo, da USP, discutem o conteúdo dos documentos oficiais que buscavam traçar diretrizes para a educação em saúde no âmbito escolar nas últimas quatro décadas. Além de identificar uma importante carência de referências, eles observaram que as ideias permaneceram inalteradas, apesar das mudanças sociais e dos avanços teóricos ocorridos no período. “Fica evidente que, segundo essas diretrizes da década de 1970, as questões relacionadas aos contextos sociais e às condições de vida dos alunos, ou os determinantes coletivos do processo saúde-doença (aspectos culturais, socioeconômicos, de acesso aos bens e serviços etc), são muito pouco consideradas como foco da educação da saúde”, afirmam. Para os autores, alguns desafios devem ser encarados para que a escola se torne, de fato, um local de aprendizagens que propicie aos alunos condições de compreensão dos diversos fatores que determinam sua situação de saúde, assim como da comunidade em que vivem, e possam se posicionar criticamente em relação a essas condições. Essa perspectiva pressupõe que professores e equipe escolar compreendam a saúde a partir de seu conceito ampliado, incorporando aportes teóricos da área de Saúde Coletiva. Leia em HCS-Manguinhos: A saúde na escola: análise dos documentos de referência nos quarenta anos de obrigatoriedade dos programas de saúde, 1971-2011, artigo de Paulo Henrique Nico Monteiro e Nelio Bizzo (vol.22, no.2, abr./jun. 2015) Sumário da edição (vol.22, no.2, abr./jun. 2015) Como citar este post [ISO 690/2010]: Quatro décadas de programas de saúde nas escolas. Blog de História, Ciências, Saúde – Manguinhos. [viewed 9 June 2015]. Available from: http://www.revistahcsm.coc.fiocruz.br/quatro-decadas-de-programas-de-saude-nas-escolas/

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *