Pontes continentais?

Novembro/2014

Ihering

Hermann von Ihering

Quando o oceano Atlântico ainda não existia, pontes continentais uniam partes dos continentes africano e sul-americano, afirmava o cientista alemão Hermann von Ihering no início do século XX, diferentemente do que hoje é aceito pelos estudos de tectônica de placas.

Hermann Friedrich Albrecht von Ihering (1850-1930) defendia a existência destas pontes continentais com base em seus estudos sobre moluscos fósseis e viventes e também nos trabalhos de Florentino Ameghino (1854-1911), especialista em paleontologia sul-americana de mamíferos e diretor do Museu de Buenos Aires de 1902 a 1911.

Já na década de 1890, Ihering opunha-se veementemente às concepções de Alfred Wallace (1823-1913) sobre a invariabilidade das grandes profundidades dos oceanos. Na fase final de sua carreira, nas primeiras décadas do século XX, suas críticas se voltariam também para as teorias da deriva continental, de Frank Taylor (1860-1938) e Alfred Wegener (1880-1930).

Von Ihering estudou medicina de 1868 a 1873 em Berlim, doutorou-se pela Universidade de Göttingen com um estudo sobre moluscos e, aos 30 anos, em 1880, mudou-se para o Brasil. Diretor do Museu de Paulista de São Paulo de 1894 a 1916, foi um membro representativo da comunidade científica.

No artigo “Entre mares e continentes: aspectos da trajetória científica de Hermann von Ihering, 1850-1930”, publicado na edição “Oceanos e mares: histórias, ciências e políticas” da revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos, as autoras Maria Margaret Lopes e Irina Podgorny abordam a formação em zoologia em instituições alemãs e em Nápoles, a atuação internacional a partir do Brasil e o retorno à Alemanha.

O artigo destaca as redes de sociabilidade construídas prioritariamente com outros alemães e com Florentino Ameghino, que lhe permitiram interagir nos círculos científicos internacionais, transcreve fragmentos de suas correspondências com Ameghino (1890), relata sua viagem à Europa em busca de apoio para suas teorias (1907) e menciona seu livro sobre a história do oceano Atlântico (1927).

Leia em HSC-Manguinhos:

Entre mares e continentes: aspectos da trajetória científica de Hermann von Ihering, 1850-1930 – artigo de Maria Margaret Lopes e Irina Podgorny

Sumário da edição “Oceanos e mares: histórias, ciências e políticas” no Scielo (vol.21 no.3 Rio de Janeiro jul./set. 2014)
 
 

No comments

Trackbacks/Pingbacks

  1. Retrospectiva 2014 - [...] Pontes continentais? As teorias do cientista alemão Hermann von Ihering são discutidas em artigo de Maria Margaret Lopes e Irina Podgorny na edição…
  2. Políticas do mar - [...] Pontes continentais? As teorias do cientista alemão Hermann von Ihering são discutidas em artigo de Maria Margaret Lopes e Irina Podgorny na edição…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *