Pesquisador da Casa de Oswaldo Cruz fala sobre falta de médicos há 150 anos

Setembro/2013

Ancelmo Gois | O Globo A falta de médicos no interior: polêmica antiga A polêmica em torno da tentativa de resolver a falta de médicos fora dos grandes centros no Brasil não é novidade na História. Veja só. Há exatamente 150 anos, uma controvérsia dividiu o governo imperial e médicos. O episódio, em 1863, foi tese do historiador da Fiocruz Flávio Edler. Tudo girou em torno da proposta de Cruz Jobim (foto ao lado), médico respeitado, formado em Paris, senador do Império, que sugeria formar médicos de segunda classe para atuar no interior. A proposta provocou o maior bafafá. Edler trocou dois dedos de prosa com Márcia Vieira, da turma da coluna: Quantos médicos o Brasil tinha em 1863? O Império tinha duas faculdades de Medicina: uma em Salvador e outra na Corte do Rio de Janeiro. Tínhamos uns mil médicos, a maioria concentrada nas duas cidades. Leia aqui a entrevista completa Fonte: O Globo Leia em História, Ciências, Saúde – Manguinhos A Escola Tropicalista Baiana: um mito de origem da medicina tropical no Brasil – Artigo de Flavio C. Edler (v.9, n.2, 2002) De olho no Brasil: a geografia médica e a viagem de Alphonse Rendu – Artigo de Flavio C. Edler (v.8, suplemento, 2001) O debate em torno da medicina experimental no segundo reinado – Artigo de Flavio C. Edler (v.3, n.2, 1996) Saiba mais:Mais Médicos’ amplia o debate sobre o SUS

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *