Pesquisa mapeará cursos de pós-graduação em divulgação científica na América Latina

Fevereiro/2015

O número de cursos de pós-graduação em divulgação científica na América Latina e o Caribe está aumentando, mas ainda não se sabe quantos existem, onde estão, quais seus objetivos, a quem se destinam e qual a sua estrutura curricular. Para mapear os cursos e dar a eles ampla difusão, a Rede de Popularização da Ciência e da Tecnologia para a América Latina e o Caribe (RedPOP), a Oficina Regional de Ciência de Unesco para América Latina e o Caribe e a Universidade Nacional de Rio Negro, na Argentina, estão convidando instituições que tenham cursos de doutorado, mestrado, especialização ou outros na área de divulgação científica a enviarem informações através de um formulário eletrônico.

luisamassarani_peqjpg

Luisa Massarani

De acordo com a diretora da RedPop, Luisa Massarani, este é um momento de efervescência e profissionalização da divulgação científica na América Latina, e os cursos beneficiam tanto profissionais que atuam na área quanto a pesquisa em divulgação científica. Porém, mesmo em cada país, a informação não está disponível de forma sistematizada. “Se conseguirmos reunir informações sobre os cursos oferecidos na região, poderemos difundi-las, de forma que as pessoas interessadas possam cursá-los. Além disso, esperamos que este mapa estimule a troca de informações e colaborações entre os diversos cursos”, afirma.

No Brasil, a Capes, órgão que aprova os cursos de mestrado e doutorado, reúne dados sobre os cursos, mas não há informações específicas para a área de divulgação científica. Já em casos de cursos lato sensu, aprovados internamente pelas próprias instituições, as informações estão pulverizadas. Segundo Luisa, que é pesquisadora do Museu da Vida/Fiocruz, há notícia de novos cursos no Norte, Nordeste e Centro-Oeste, mas é preciso saber mais.

“O Brasil tem pelo menos dois séculos de história de divulgação científica. Na última década, vemos uma intensificação importante, inclusive com mais recursos para a área, por meio de editais do CNPq e de Fundações de Apoio à Pesquisa. Creio que este é o momento para uma maior profissionalização dos profissionais que atuam na área e a consolidação da pesquisa na área, que é ainda emergente e realizada por pesquisadores de forma isolada”, afirma. Para um panorama mais amplo da divulgação científica na América Latina e Caribe hoje, ela recomenda a leitura do seu artigo Science communication in Latin America: what is going on?

Também são parceiros na iniciativa de mapeamento o Museu da Vida, a Sociedade Mexicana para a Divulgação da Ciência e da Técnica, a Fundação Cientec (Costa Rica), o Museu Interativo Mirador (Chile), o Parque Explora (Colômbia) e a Unesco. Para participar, o curso deve enviar mensagem a redpop@unesco.org.uy, redpopdireccion@gmail.com e Ana Paula Trindade, trindade.ana@gmail.com. Os formulários preenchidos devem ser enviados até 30 de março.

Leia em HCS-Manguinhos:

A ciência e seus públicos – suplemento temático. Volume 20, nov. de 2013.

Museus e Ciências – suplemento temático. Volume 12. 2005.

Leave a Reply