Pedro Muñoz recebe Menção Honrosa do Prêmio Capes de Tese 2016 em História

Outubro/2016

premio-capes1Pedro Felipe Neves de Muñoz, doutor em História das Ciências pela Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, foi agraciado com Menção Honrosa do Prêmio Capes de Tese 2016 na área de História pela tese “À luz do biológico: psiquiatria, neurologia e eugenia nas relações Brasil-Alemanha (1900-1942)”, defendida em 2015, sob a orientação de Cristiana Facchinetti e coorientação de Stefan Rinke, do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências da Fiocruz.

O resultado foi publicado no Diário Oficial da União de 10 de outubro de 2016. O evento de entrega dos prêmios acontecerá em Brasília, no dia 14 de dezembro de 2016, na sede da Capes, às 18 horas. Saiba mais.

Parabéns ao Pedro Muñoz e seus orientadores. Leia em HCS-Manguinhos: Rinke, Stefan et al. Trocas intelectuais entre Alemanha e América Latina: entrevista com Stefan Rinke. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Mar 2014, vol.21, no.1 Facchinetti, Cristiana and Muñoz, Pedro Felipe Neves de Emil Kraepelin na ciência psiquiátrica do Rio de Janeiro, 1903-1933. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Mar 2013, vol.20, no.1 Edição especial de HCS-Manguinhos: Hospício e Psiquiatria na Primeira República: diagnósticos em perspectiva histórica (Volume 17 • suplemento 2 • dez. 2010) Sobre psiquiatra, leia ainda em HCS-Manguinhos:
Tenório, Fernando.  A reforma psiquiátrica brasileira, da década de 1980 aos dias atuais: história e conceitos. Abr 2002, vol.9, no.1 Carrion, Carla Torres Pereira, Margotto, Lilian Rose and Aragão, Elizabeth Maria Andrade As causas das internações no Hospital Adauto Botelho (Cariacica, ES) na segunda metade do século XX.  Dez 2014, vol.21, no.4 Almeida, Francis Moraes de. Descontinuidades e ressurgências: entre o normal e o patológico na teoria do controle social. Set 2013, vol.20, no.3 Gama, Jairo Roberto de Almeida. A constituição do campo psiquiátrico: duas perspectivas antagônicas. Mar 2012, vol.19, no.1 Venancio, Ana Teresa A. Da colônia agrícola ao hospital-colônia: configurações para a assistência psiquiátrica no Brasil na primeira metade do século XX. Dez 2011, vol.18, suppl.1, Jabert, Alexander. Estratégias populares de identificação e tratamento da loucura na primeira metade do século XX:uma análise dos prontuários médicos do Sanatório Espírita de Uberaba. Mar 2011, vol.18, no.1 Facchinetti, Cristiana et al. No labirinto das fontes do Hospício Nacional de Alienados. Dez 2010, vol.17, suppl.2 Facchinetti, Cristiana, Cupello, Priscila and Evangelista, Danielle Ferreira Arquivos Brasileiros de Psiquiatria, Neurologia e Ciências Afins: uma fonte com muita história. Dez 2010, vol.17, suppl.2 Santos, Fernando Sergio Dumas dos and Verani, Ana Carolina Alcoolismo e medicina psiquiátrica no Brasil do início do século XX. Dez 2010, vol.17, suppl.2 Nunes, Sílvia Alexim. Histeria e psiquiatria no Brasil da Primeira República. Dez 2010, vol.17, suppl.2 Birman, Joel. A cena constituinte da psicose maníaco-depressiva no Brasil. Dez 2010, vol.17, suppl.2 Nunes, Everardo Duarte. Hollingshead e Redlich: a pesquisa sobre classe social e doença mental cinquenta anos depois. Mar 2010, vol.17, no.1 Oda, Ana Maria Galdini Raimundo and Dalgalarrondo, Paulo História das primeiras instituições para alienados no Brasil. Dez 2005, vol.12, no.3 Jabert, Alexander. Formas de administração da loucura na Primeira República: o caso do estado do Espírito Santo. Dez 2005, vol.12, no.3 Paulin, Luiz Fernando and Turato, Egberto Ribeiro Antecedentes da reforma psiquiátrica no Brasil: as contradições dos anos 1970. Ago 2004, vol.11, no.2 Venâncio, Ana Teresa A. História do saber psiquiátrico no Brasil: ciência e assistência em debate.Dez 2003, vol.10, no.3 Venâncio, Ana Teresa A. Ciência psiquiátrica e política assistencial: a criação do Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil. Dez 2003, vol.10, no.3 Tenório, Fernando. A reforma psiquiátrica brasileira, da década de 1980 aos dias atuais: história e conceitos. Abr 2002, vol.9, no.1 Wadi, Yonissa Marmitt. Aos loucos, os médicos: a luta pela medicalização do hospício e construção da psiquiatria no Rio Grande do Sul. Fev 2000, vol.6, no.3 Engel, Magali Gouveia. As fronteiras da ‘anormalidade’:psiquiatria e controle social. Fev 1999, vol.5, no.3 Sobre eugenia: Eugenia ‘negativa’, psiquiatria e catolicismo: embates em torno da esterilização eugênica no Brasil, artigo de Robert Wegner e Vanderlei Sebastião de Souza Leia no blog de HCS-Manguinhos: Reforma psiquiátrica é tema de artigo mais acessado de HCS-Manguinhos Artigo de Fernando Tenório publicado em 2002 retrata luta por tratamento mais humano e inclusivo a doentes mentais no Brasil Roquette-Pinto e a valorização da mestiçagem Vanderlei Sebastião de Souza mostra o esforço científico do antropólogo na defesa da miscigenação do povo brasileiro O Brasil mestiço e viável de Roquette-Pinto Anpuh premia tese de Vanderlei Sebastião de Souza sobre o “retrato racial” do brasileiro feito por Edgard Roquette-Pinto entre 1910 e o início da década de 1930, quando trabalhou no Museu Nacional. Eugenia, educação e políticas públicas no Brasil O historiador Jerry Davila explica que pensamento eugênico refletia-se nas práticas escolares e nos valores vigentes numa sociedade altamente discriminatória. Pai da eugenia no Brasil ficou obscuro na história Defensor da ‘higiene racial’, o médico Renato Kehl assumiu a propaganda eugênica como missão política e intelectual entre 1917 e 1940. Robert Wegner e Vanderlei Sebastião de Souza publicaram artigo em HCS-Manguinhos. Germanofilia de Rocha Lima marcou sua ‘persona’ científica Para André Felipe Cândido da Silva, o cientista não ficou famoso por causa da sua ligação com a medicina germânica inclusive durante o nazismo. Pesquisa genética já tem história no Brasil Acervo do Museu da Genética da UFRGS inspira historiadores como Vanderlei de Souza.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *