Para acelerar a comunicação científica, adiós ineditismo

Julho/2016

Marina Lemle | Blog de HCS-Manguinhos
Abel Packer. Foto: SciELO

Abel Packer. Foto: SciELO

Frases de impacto como “O meio é a mensagem”, “A tecnologia não pode parar” e “Uma mente colonizada leva tempo para ser superada” deram o tom da participação de Abel Packer, idealizador e coordenador do portal SciELO, na conferência de abertura do workshop Desafios de Revistas Interdisciplinares, realizado na Fiocruz de 22 a 24 de junho. Criado em 1998, o portal de acesso aberto a periódicos científicos SciELO tem hoje 1.249 revistas indexadas, a maioria do Brasil e de outros países da América Latina. O portal tem 750 mil downloads por dia e uma taxa anual de crescimento de 10%. Packer destacou que uma tendência internacional na comunicação científica – resultado da necessidade de aceleração da divulgação das pesquisas – é a publicação individualizada de artigos. Ele explicou que esta publicação individual pode ocorrer pela disponibilização de artigos já aprovados e editados antes do lançamento de um novo número de um periódico – modalidade conhecida como ahead of print -, ou por meio de repositórios de preprints. Neste caso, o autor disponibiliza o artigo num repositório e recebe revisões por pares, podendo fazer versões progressivas. Packer reconhece que o preprint é um risco para as revistas. Segundo ele, os mais resistentes são os pesquisadores das áreas de humanas. De fato, afirma: “Ineditismo, adiós”. Apesar das resistências, o SciELO testará um repositório no ano que vem. “A publicação adiantada aumenta a exposição para downloads. O sistema atual é lento e caro”, explicou. Segundo Packer, o programa SciELO alinha-se a esta tendência por considerá-la um aperfeiçoamento chave aos periódicos que indexa e publica, e espera que a maioria dos periódicos indexados adote o recurso nos próximos dois anos. Outro modo de comunicar pesquisas com mais rapidez é aumentar a frequência de publicação dos números. A partir de 2016, o SciELO parou de aceitar publicação semestral, e limitou a quadrimestral aos periódicos das áreas de Ciências Humanas, Sociais Aplicadas e Literatura, Letras e Artes. Entre as revistas de História, História, Ciências, Saúde – Manguinhos, trimestral, é a mais acessada. Pioneiro na defesa do acesso aberto às publicações científicas e do uso de ferramentas de internet para aproximar a ciência do público, Packer aposta no uso de redes sociais e blogs para divulgar o conteúdo das revistas científicas. Ele defende também que as editoras universitárias publiquem todos os seus livros em acesso aberto e não tentem competir com editoras comerciais. “Quem quiser o livro em papel compra, mas inicialmente ele é digital e aberto”, sugeriu. Publicamos nos blogs de HCS-Manguinhos em português e em espanhol e inglês a cobertura do workshop realizado neste inverno de sol e frio no Rio de Janeiro. Confira nos links abaixo. Leia no Blog de HCS-Manguinhos: Divulgar é preciso: lugar de ciência é na rede social Em workshop na Fiocruz, editores brasileiros expuseram suas experiências de uso de novas mídias na divulgação científica Editores britânicos e latinos discutem financiamento e acesso aberto a revistas científicas Falta de investimento é comum a todos, mas as soluções apontam para caminhos diferentes ‘Internacional não é colonizado’ Em workshop sobre revistas interdisciplinares na Fiocruz, Regina Horta, editora da Varia Historia, discute com editores estrangeiros a internacionalização dos periódicos científicos Do mimeógrafo às redes sociais, um caminho de acesso aberto Editor de História, Ciências, Saúde – Manguinhos por mais duas décadas, o historiador Jaime Benchimol participou de workshop sobre revistas interdisciplinares na Fiocruz Editores debatem desafios de periódicos interdisciplinares Workshop realizado na Fiocruz, no Rio, foi promovido por HCS-Manguinhos e Journal of Latin American Studies com apoio da British Academy Los desafíos actuales de las publicaciones científicas El objetivo del workshop fue proporcionar el intercambio de experiencias y ideas para enfrentar los desafíos. The Brexit and its consequences for science Mathew Brown, co-editor of Bulletin of Latin American Research analyzes the consequences of this exit for science and the academic community. Redes sociais para divulgar ciência Para Abel Packer, coordenador do Programa SciELO/Fapesp, as novas mídias projetam-se como principal meio de divulgação para periódicos científicos. “A presença proativa dos periódicos SciELO nas redes sociais é uma das nossas prioridades”, diz. Leia em Ciência em Revista: Revistas das ciências humanas sob pressão para internacionalizar seus conteúdos Acesso aberto de revistas científicas é cada vez mais desejado, mas esbarra em desafios relativos ao financiamento Produtivismo acadêmico traz novas demandas para as revistas científicas Divulgação científica é estratégia para visibilidade de revistas interdisciplinares Leia no Blog SciELO em Perspectiva: Acelerando a comunicação das pesquisas: as ações do SciELO Artigo de Abel L. Packer, Solange Santos, Denise Peres Sales e Eliana Salgado Como citar este post: Para acelerar a comunicação científica. Blog de HCS-Manguinhos. [viewed 4 July 2016]. Available from: http://www.revistahcsm.coc.fiocruz.br/para-acelerar-a-comunicacao-cientifica/

No comments

Trackbacks/Pingbacks

  1. Divulgar é preciso: lugar de ciência é na rede social #Repost | Laboratório de Estudos Métricos da Informação na Web (Lab-iMetrics) - [...] Para acelerar a comunicação científica, adiós ineditismo Em workshop na Fiocruz, Abel Packer, coordenador do SciELO, defendeu as publicações…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *