Oswaldo Cruz para historiadores

Junho/2017

Oswaldo Cruz

Em 11 de fevereiro de 1917, morria aos 44 anos em sua casa de Petrópolis o cientista Oswaldo Cruz. Diretor do Instituto Oswaldo Cruz, responsável pelas primeiras campanhas bem-sucedidas de combate à febre amarela, sua trajetória se confunde com a história do ingresso do Brasil na era republicana e da emergência da saúde pública no País. Nestes 100 anos desde sua morte, quais são as implicações de suas atividades para o campo da história do Brasil e da saúde pública? Que representações da ciência e do País sua figura ainda nos remete? É sobre estas questões que o minicurso Oswaldo Cruz para Historiadores vai se debruçar.

Em sua segunda edição, o curso de inverno é voltado, especialmente, aos estudantes de graduação e recém-graduados na área de história, ciências sociais e cursos afins. Os interessados devem entregar a ficha de inscrição, um quilo de alimento não perecível e os documentos requeridos até o dia 30 de junho na secretaria do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde (PPGHCS), na Avenida Brasil, 4.036 – Manguinhos, Rio de Janeiro. São oferecidas 70 vagas. Mais detalhes sobre o curso e as inscrições estão disponíveis no site do PPGHCS.

Promovido pelo Departamento de Pesquisa em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz e pelo Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde, o curso é organizado pelos historiadores Kaori Kodama e Rômulo Andrade.

Programação

1ª Aula
As biografias na história das ciências: problematizando o mito de Oswaldo Cruz
10 de julho, das 13h30 às 17h
Professora: Nara Azevedo

2ª Aula
A história das ciências na América Latina: trajetórias e problemas
11 de julho, das 13h30 às 17h
Professor: Marcos Cueto

3ª Aula
12 de julho
Manhã: 9h30 às 12h
10h – Visita ao Castelo: leitura dramatizada do cordel “Castelo Fiocruz”
11h – Peça “O rapaz da rabeca e a moça Rebeca”, seguida de roda de conversa, na Tenda da Ciência

Tarde: 13h30 às 17h
Revoltas populares, reformas e cientistas: o Rio de Janeiro na virada para o século XX
Professores Gisele Sanglard e André Felipe Candido

4ª Aula
Na era do saneamento: a constituição da Saúde Pública e a política no Brasil republicano
13 de julho, das 13h30 às 17h
Professor: Gilberto Hochman

5ª Aula
De mosquitos e de febres na história do Brasil
14 de julho, das 13h30 às 17 horas
Professor: Jaime Benchimol

Minicurso Oswaldo Cruz para Historiadores:

Período: De 10 a 14 de Julho de 2017 – Segundas e sextas feiras
Inscrições: até 30 junho – vagas limitadas
Local das aulas: Prédio da Expansão do Campus de Manguinhos. Av. Brasil, 4036, sala 401.
Mais informações: Tel.: (21) 3882-9170; 2590-5192. E-mail:  historiasaude@coc.fiocruz.br

Ficha de inscrição

Fonte: Casa de Oswaldo Cruz

Leia em HCS-Manguinhos artigos dos professores do curso:

Azevedo, Nara e Ferreira, Luiz Otávio Os dilemas de uma tradição científica: ensino superior, ciência e saúde pública no Instituto Oswaldo Cruz, 1908-1953. Jun 2012, vol.19, no.2

Cueto, Marcos. La “cultura de la sobrevivencia” y la salud pública internacional en América Latina: la Guerra Fría y la erradicación de enfermedades a mediados del siglo XX. Mar 2015, vol.22, no.1

Costa, Renato da Gama-Rosa and Sanglard, Gisele Oswaldo Cruz e a lei de saúde pública na França. Jun 2006, vol.13, no.2

Hochman, Gilberto. Logo ali, no final da avenida: Os sertões redefinidos pelo movimento sanitarista da Primeira República. Jul 1998, vol.5

Benchimol, Jaime Larry and Silva, André Felipe Cândido da Ferrovias, doenças e medicina tropical no Brasil da Primeira República. Set 2008, vol.15, no.3

Leave a Reply