No Dia da Botânica, botânicos que fizeram história

Abril/2016

Retrato de Von Martius por Leo Schöninger, 1870

Retrato de Von Martius por Leo Schöninger

O Dia Nacional da Botânica, 17 de abril, foi instituído em 1994 em homenagem aos 200 anos do nascimento de Carl Friedrich Philipp von Martius (1794-1868), naturalista alemão que chegou ao Brasil em 1817 na comitiva da Imperatriz Leopoldina, esposa da Dom Pedro I. Martius viajou por três anos pelo país e coletou espécies depois catalogadas e descritas na Flora Brasiliensis, obra que contou com a participação de mais de 60 especialistas. Referência para a botânica brasileira, a coleção descreve 22.767 espécies de plantas conhecidas no país até o século XIX.

Von Martius também se tornou referência importante para os estudos de historiografia a partir de seu texto premiado pelo Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) com um programa de escrita da história do Brasil para a produção de uma identidade coletiva para a jovem nação nos trópicos. O artigo História e natureza em von Martius: esquadrinhando o Brasil para construir a nação, de Manoel Luiz Salgado Guimarães, discute aspectos desta escrita da história, articulando-a aos modelos científicos das primeiras décadas do século XIX e à cultura oitocentista.

João Barbosa Rodrigues (1842 - 1909)

João Barbosa Rodrigues (1842-1909)

Também merece destaque no Dia da Botânica João Barbosa Rodrigues, desconhecido no meio científico até 1870, quando apresentou uma obra sobre orquídeas brasileiras, ilustrada por ele, que incluía descrições de inúmeras espécies novas. No decorrer dos anos, ele se torna um dos cientistas de maior expressão no país e no exterior. Magali Romero Sá conta essa história no artigo O botânico e o mecenas: João Barbosa Rodrigues e a ciência no Brasil na segunda metade do século XIX.

Conheça ainda Antônio Moniz de Souza, “o homem da natureza brasileira”, Maria Bandeira, a primeira botânica do Jardim Botânico do Rio de Janeiro e leia uma entrevista com Leda Dau.

 

Leia também em HCS-Manguinhos:

Maria Bandeira: uma botânica pioneira no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, artigo de Begonha Bediaga, Ariane Luna Peixoto e Tarciso S. Filgueiras

O descanso dos naturalistas: uma análise de cenas na iconografia oitocentista, Antunes, Anderson Pereira; Moreira, Ildeu de Castro; Massarani, Luisa Medeiros (vol.22, no.3 , jul./set. 2015)

Joséphine Schouteden-Wéry no litoral belga: uma bióloga entre o trabalho de campo e a formação de coleções, artigo de Alda Heizer e Aline Cardoso Cerqueira (vol.21 no.3 Ago/set. 2014)

O inventário das curiosidades botânicas da Nouvelle France de Pierre-François-Xavier de Charlevoix (1744). Kobelinski, Michel.  Mar 2013, vol.20, no.1

Antônio Moniz de Souza, o ‘Homem da Natureza Brasileira’: ciência e plantas medicinais no início do século XIX. Santos, Laura Carvalho dos.  Dez 2008, vol.15, no.4

Notícias sobre uma expedição: Jean Massart e a missão biológica belga ao Brasil, 1922-1923, artigo de Alda Heizer  (vol.15 no.3 jul/set. 2008)

Um caminho para a ciência: a trajetória da botânica Leda Dau, Azevedo, Nara, Cortes, Bianca Antunes and Sá, Magali Romero . 2008, vol.15

Conciliar o útil ao agradável e fazer ciência: Jardim Botânico do Rio de Janeiro – 1808 a 1860. Bediaga, Begonha. Dez 2007, vol.14, no.4

Suplemento Ciência e Viagens2001

O botânico e o mecenas: João Barbosa Rodrigues e a ciência no Brasil na segunda metade do século XIX.Sá, Magali Romero. 2001, vol.8

Richard Spruce, botânico e desbravador da América do Sul. Seaward, Mark R. D.  Out 2000, vol.7, no.2

A natureza e a cultura no compasso de um naturalista do século XIX: Wallace e a Amazônia, artigo de José Jerônimo de Alencar Alves (vol.18, no.3, set 2011)

Viajantes-naturalistas no Brasil oitocentista: experiência, relato e imagem, artigo de Lorelai Kury, (vol.8, 2001)

Memórias partilhadas: os relatos dos viajantes oitocentistas e a idéia de “civilização do cacau”,artigo de Lucia Maria Paschoal Guimarães (vol.8, 2001)

História e natureza em von Martius: esquadrinhando o Brasil para construir a nação, artigo de Manoel Luiz Salgado Guimarães (vol.7, no.2, out 2000)

Leave a Reply