Mídia internacional coloca em pauta suicídios de indígenas no Brasil

Janeiro/2015

Reportagem publicada no New York Times em 2 de janeiro destaca o alto índice de suicídios entre indígenas no Brasil, principalmente na tribo Guarani-Kaiowa, no Mato Grosso do Sul. O tema já havia sido pauta de longa reportagem na web TV da ONU em 22 de dezembro.

Resistência Guarani Kaiowá. Foto de Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Resistência Guarani Kaiowá. Foto: Marcello Casal Jr. / EBC

Dados oficiais da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), do Ministério da Saúde, apontam 73 casos de suicídio de indígenas no MS em 2013, sendo 72 Guarani-Kaiowás, a maioria com idades entre 15 e 30 anos. Este é o maior índice em 28 anos. De 1986 a 1997, foram registrados 244 suicídios. O número praticamente triplicou na última década. De 2000 a 2013 foram 684 casos. Os conflitos com fazendeiros e a omissão do Estado estariam por trás da falta de perspectiva dos indígenas.

O Mapa da Violência no Brasil 2014, produzido pela Flacso, confirma o aumento do número de suicídios entre indígenas (páginas 142 e 143), assim como outras publicações recentes.

Suicídio adolescente entre povos indígenas: três estudos de caso” é uma pesquisa interdisciplinar realizada pelo Grupo Internacional de Trabalho sobre Assuntos Indígenas (IWGIA) para o Unicef com o objetivo analisar casos de suicídio indígena na America Latina. O caso dos Guarani-Kaiowa, que se localizam às margens da cidade de Dourados, foi analisado pela antropóloga Maria de Lourdes Beldi de Alcantara, o médico Zelik Trajber e a enfermeira Kaiowa Indianara Ramires Machado. Os Awajun, do Peru, que vivem num certo isolamento da sociedade ocidental, foram estudados por Irma Cerrón, Pedro Hierro e Malena Tuesta. E os Embera, da Colômbia, que sofrem com a violência das FARC, foram o foco de Lina Yagarí e María Yagarí.

Já o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) lançou em julho de 2014 o relatório “Violência contra os povos indígenas no Brasil“, que compila dados de violência cometida contra indígenas em 2013.

Leia em  HCS-Manguinhos:

Ñande Ru Marangatua judicialização da luta pela terra indígena e o papel do cientista, artigo de Thiago Leandro Vieira Cavalcante (vol.17, no.2, Jun 2010)

A persistência da teoria da degeneração indígena e do colonialismo nos fundamentos da arqueologia brasileiraartigo de Francisco Silva Noelli e Lúcio Menezes Ferreira (vol.14, no.4, Dez 2007)

Globalização e ambientalismoetnicidades polifônicas na Amazônia, artigo de Luiza Garnelo e Sully Sampaio (vol.12, Dez 2005)

A emergência da medicina tradicional indígena no campo das políticas públicas, artigo de Luciane Ouriques Ferreira (vol.20, no.1, jan./mar. 2013)

“O Sesp nunca trabalhou com índios”: a (in)visibilidade dos indígenas na atuação da Fundação Serviços de Saúde Pública no estado do Amazonas, artigo de Amandia Braga Lima Sousa e Júlio César Schweickardt (vol.20, no.4, dez 2013)

O índio na fotografia brasileira: incursões sobre a imagem e o meioartigo de Fernando de Tacca (v.18 n.1, mar. 2011)

Cinco imagens e múltiplos olhares: ‘descobertas’ sobre os índios do Brasil e a fotografia do século XIX, artigo de Marcos Morel (vol.8, 2001)

Aspectos socioculturais de vacinação em área indígena, artigo de Luiza Garnelo (vol.18, no.1, Mar 2011)

O mundo e o conhecimento sustentável indígena, artigo de André Fernando (vol.14,  Dez 2007)

Leia no blog de HCS-Manguinhos:

Antropóloga defende diálogo para articular medicinas indígenas e sistema de saúde – Entrevista com Luciane Ouriques Ferreira

As ciências e os saberes indígenas na Companhia de Jesus – Eliane Cristina Deckmann Fleck discute a contribuição dos jesuítas ao desenvolvimento científico da América Platina.

Biblioteca Virtual: documentação indígena mais perto do público

No comments

Trackbacks/Pingbacks

  1. Biblioteca Virtual: documentação indígena mais perto do público - [...] Mídia internacional coloca em pauta suicídios de indígenas no Brasil [...]

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *