Margarida de Souza Neves abre seminário no Museu do Meio Ambiente no Rio

Março/2015

margarida

Margarida de Souza Neves

Começa nesta quarta-feira, 11 de março, no Museu do Meio Ambiente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, o seminário “O Museu do Meio Ambiente comemora a cidade”. A primeira mesa-redonda, “A cidade entre comemorações”, terá como convidada a historiadora Margarida de Souza Neves, coordenadora do Núcleo de Memória da PUC-Rio. Guida, que se dedica ao estudo de história cultural, cidade e pensamento social brasileiro, também é editora adjunta da revista HCS-Manguinhos. O seminário acontece de março a novembro de 2015 com o objetivo de repensar o passado e debater o presente e o futuro da cidade. Especialistas de diferentes perfis abordarão aspectos relevantes da história do Rio, sua paisagem e natureza, bem como suas metas e projetos, apresentando temas como identidade, território, desastre natural e ambiental, a cidade como cenário de mudança, sua crônica e seus personagens, entre outros. O seminário integra a programação das “Conversas no Museu”, uma série de encontros no Museu do Meio Ambiente que se caracterizam por aproximar os especialistas e o público de maneira descontraída. A organização é de Alda Heizer, Aline Cardoso Cerqueira e Carmen Sílvia Machado.

Serviço:

Conversas no Museu: Seminário “O Museu do Meio Ambiente comemora a cidade”

De 11 de março a 11 de novembro de 2015 Das 9h30 às 12h Museu do Meio Ambiente/Jardim Botânico do Rio de Janeiro Rua Jardim Botânico, 1008, Rio de Janeiro

Programação:

seminarioJBRJ45011 de março às 9 horas

Mesa de Abertura: A cidade entre comemorações

Margarida de Souza Neves (PUC-RJ) Samyra Crespo (presidente do JBRJ) Henrique Lins de Barros (Museu do Meio Ambiente – JBRJ) Representante do Comitê Rio 450

8 de abril

A cidade: desastre ambiental ou natural?

Gustavo Martinelli (JBRJ) Lise Fernanda Sedrez (UFRJ)

 13 de maio

A cidade: espaço e natureza

Ana Rosa de Oliveira (JBRJ) Margareth da Silva Pereira (IPUR-UFRJ)

10 de junho

A cidade entre o mar, o sertão e a floresta

Fabio Scarano (UFRJ) Nisia Trindade (COC- FIOCRUZ)

15 de julho

A cidade: o jardim e a crônica da cidade

Isabel Lustosa (FCRB) Maria Alice Rezende de Carvalho (PUC-RJ)

 12 de agosto

A cidade: cenário de mudanças?

Jaime Benchimol (COC-FIOCRUZ) Marco Antonio Pamplona (PUC-RJ)

 9 de setembro

A cidade: território e identidade

Antônio Carlos Pinto Vieira (Museu da Maré) Marcus Vinicius Faustini (Escritor e diretor teatral)

 7 de outubro

A cidade, a floresta e o Jardim Botânico do Rio de Janeiro Claudia Beatriz Heynemann (AN) Maria Lucia Nova da Costa (JBRJ)

 11 de novembro

A cidade: paisagem em construção

Luis Carlos Madeira (PUC-RJ) Maria Inez Turazzi (LABHOI/UFF)

Sobre os palestrantes:

Ana Rosa de Oliveira (JBRJ) Doutorado em Arquitetura pela Universidade de Valladolid, Espanha (1998). Tecnologista responsável pelo Laboratório da Paisagem do JBRJ e professora do Mestrado profissional em Arquitetura Paisagística do PROURB – UFRJ. Desenvolve pesquisas sobre a obra de Roberto Burle Marx no Rio de Janeiro, Desenho de coleções em jardins botânicos e Preservação e cadastro de jardins históricos. Pós-doutorado em História das Ciências (COC-FIOCRUZ) (2007-2008) e paisagismo (UPC-ETSAB Barcelona (2011) Autora entre outros, dos livros “Tantas vezes paisagem”. (2007) e “Paisagens particulares. Jardins de Burle Marx 1940-1970” (2015).

Antônio Carlos Pinto Vieira (Museu da Maré) Mestre em Memória Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (UERJ). Atualmente dedica-se ao estudo dos museus comunitários, sendo conselheiro do Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC) como representante da área de Museus e presidente da Associação Brasileira de Museologia (ABM). Em 2006 participou da fundação do Museu da Maré onde atualmente desenvolve o trabalho de implantação do Plano Museológico e do programa de gestão participativa.

Claudia Beatriz Heynemann  (AN)  Doutora em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000). Supervisora de Pesquisa no Arquivo Nacional, editora do site O Arquivo Nacional e a História Luso-Brasileira. É membro e coordenadora da linha de pesquisa Patrimônio visual, do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Imagem e Memória – NEEIM, do LEER/USP. Entre outros títulos, destaca-se a publicação dos livros “Floresta da Tijuca: natureza e civilização” (1994), “Retratos Modernos” (2005) e “As culturas do Brasil” (2010).

Fabio Scarano (UFRJ) Ph.D. em Ecologia pela Universidade de St. Andrews, Escócia (1992). É membro da Linnean Society of London (desde 1995).  Desde 2011 é autor principal para os Painéis Brasileiro (PBMC) e Intergovernamental (IPCC) de Mudanças Climáticas.  Desde 2009 compõe o quadro da Conservation International, onde foi Diretor Executivo para o Brasil (2009-2011) e, posteriormente, é Vice-Presidente Senior para as Américas (desde 2011).

Gustavo Martinelli (JBRJ) Doutor pela Faculty of Sciences – University of St.Andrews – UK (1994). É coodenador do Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora). Desenvolve pesquisas na área de Botânica, com ênfase em Taxonomia Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: Bromeliaceae, Conservação, Floresta Atlântica, Biodiversidade de Montanhas, Taxonomia, Inventários e Coordenação de Expedições Científicas.  É autor e organizador do “Livro Vermelho da Flora do Brasil”, recentemente prêmio Jabuti.

Isabel Lustosa (FCRB) Doutora em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ) (1997) e Pesquisadora Titular da Fundação Casa de Rui Barbosa. Especialista em história da imprensa e da caricatura brasileira. É titular da Cátedra Sergio Buarque de Holanda/Maison des Sciences de l´Homme/Paris para o período 2012-2015, atuando como professora visitante da Universidade de Rennes-2. Autora, entre outros, do livro “De olho em Lampião: violência e esperteza”.

Jaime L. Benchimol (FIOCRUZ) Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense (1995). Pesquisador titular da Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz (COC/FIOCRUZ), professor do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde e editor científico da Revista História, Ciências Saúde – Manguinhos. É autor de vários livros, entre eles “Pereira Passos: um Haussmann tropical” que trata das reformas urbanas e higienistas no Rio de Janeiro do começo do século XX.

Lise Fernanda Sedrez (UFRJ) Doutora em História da América Latina pela Stanford University (2005). Foi professora na California State University, Long Beach, de 2005 a 2011. Obteve a National Endowment for the Humanities Fellowship para o ano de 2010-2011. Editora responsável da TOPOI (Revista de História do Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ). Autora, entre outros, dos artigos “Constructing and De-constructing Communities: Tales of Urban Injustice and Resistance in Brazil and South Africa” e “Desastres socioambientais, políticas públicas e memória – contribuições para a história ambiental”.

Luis Carlos Madeira (Fiocruz/PUC-Rio) Mestre em Planejamento Urbano e Regional pela UFRJ (1999). Atua na área de planejamento territorial, habitat saudável e regularização fundiária. Servidor público da Fiocruz, é responsável pelo Planejamento Territorial do Campus Fiocruz da Mata Atlântica, e colaborador do curso de Pós-graduação Latu-Sensu em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde.  Professor agregado da PUC-Rio no Curso de Arquitetura e Urbanismo, membro da comissão acadêmica do curso de Pós-graduação Sustentabilidade no Projeto: do Objeto à Cidade e integrante do grupo de pesquisa Estudos do Lugar. Autor, entre outros, do livro BiodiverCités: les aires protégées urbaines des laboratoires grandeur nature (BiodiverCités: urban protected areas, some natural size laboratories).

Marco Antonio Pamplona (PUC-RJ) Doutor em História pela Columbia University (1991)  e realizou seu pós-doutoramento (2001-2002) na Yale University. Bolsista de Produtividade em Pesquisa 2 do CNPq e professor associado da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde atua no Programa de Pós-Graduação em História Social da Cultura – Mestrado e Doutorado. Coordena o Grupo de Pesquisa Nações e Nacionalismos nas Américas e seus temas de estudo relacionam-se à história comparada. É autor, entre outros, do livro “Revoltas, Repúblicas e Cidadania”.

Marcus Vinicius Faustini Diretor teatral, documentarista e escritor, autor do “Guia Afetivo da Periferia” (2009) e co-autor de “O novo carioca” (2012), com Jaílson de Souza e Silva e Jorge Luiz Barbosa. Em 2011, criou a metodologia da Agência de Redes para Juventude, para transformar ideias de jovens das favelas cariocas em projetos para impactar suas comunidades, aumentando suas redes e repertórios. Entre suas direções mais destacadas está “Capitu”, de 1999, adaptação do romance “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, com foco na personagem Capitu. A peça foi premiada pela Academia Brasileira de Letras.

Margareth da Silva Pereira (IPUR-UFRJ)  Doutora pela École des Hautes Etudes en Sciences Sociales (1984). Realizou seu pós-doutorado na França no Institut dUrbanisme de Paris e na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales e na Inglaterra Centre for Urban History da University of Leicester (2004). Professora do PROURB da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É autora de livros, capítulos de livros, artigos e exposições na área de estudos culturais, principalmente nos campos da arte, da arquitetura, do urbanismo e do paisagismo, tendo como foco, sobretudo, o Rio de Janeiro.

Margarida de Souza Neves (PUC-RJ)  Doutora em História pela Universidad Complutense de Madrid (1975). Atualmente é professora emérita do Departamento de História da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Social da Cultura, e trabalha principalmente nos seguintes temas: memória e história, literatura e história, história cultural, cidade e história e pensamento social brasileiro. Atualmente coordena o Núcleo de Memória da PUC-Rio.

Maria Alice Rezende de Carvalho (PUC-RJ) Doutora em Sociologia pelo IUPERJ – Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (1997), onde trabalhou entre os anos de 1987 e 2007, tornando-se Professora Titular (Sociologia), em 1993. Atualmente é Professora Associada II do Departamento de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e Pesquisadora do CNPq (desde 2005).  Participa do Conselho de Informações Estratégicas do Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos (IPP).

Maria Inez Turazzi (LABHOI – UFF) – Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1998). Realizou pós-doutorado, como pesquisadora visitante, na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (2012). Pesquisadora associada do Laboratório de História Oral e Imagem da UFF, bolsista de produtividade do CNPq e membro do Conselho Curador do Museu do Meio-Ambiente do JBRJ. Autora, entre outros, do livro “Rio 400 + 50; comemorações e percursos de uma cidade”.

Maria Lucia Nova da Costa (JBRJ) Doutora em Botânica pela Escola Nacional de Botânica Tropical do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro/JBRJ (2014).  É coordenadora do Projeto Ex Situ do Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora) e presidente da Comissão Nacional de Jardins Botânicos. Atua nas áreas de Conservação, Jardins Botânicos e Espécies ameaçadas.

Nisia Trindade (COC- FIOCRUZ) Doutora em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), é pesquisadora titular da Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz. Vice-Presidente de Ensino, Informação e Comunicação (FIOCRUZ) e diretora da Editora Fiocruz. Autora, entre outros, do livro “Um Sertão Chamado Brasil”. Doutora em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), é pesquisadora titular da Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz, professora de Pós-Graduação do Programa de História das Ciências e da Saúde, Vice-Presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz e diretora da Editora Fiocruz.

Fonte: Jardim Botânico do Rio de Janeiro Leia no Blog de HCS-Manguinhos: Museu do Meio Ambiente estimulará debates sobre questões ambientaisblog de HCS-Manguinhos entrevistou Henrique Lins de Barros, novo chefe do museu do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Coleções de Joséphine Botânica, arqueóloga e feminista, Joséphine Schouteden-Wéry estudou espécies da Bélgica ao Congo. Leia artigo de Alda Heizer e Aline Cardoso Cerqueira em HCS-Manguinhos. Leia em História, Ciências, Saúde – Manguinhos: Conciliar o útil ao agradável e fazer ciênciaJardim Botânico do Rio de Janeiro – 1808 a 1860 – artigo de Begonha Bediaga (vol.14, no.4, dez 2007)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *