Malária: 2000 anos de teorias e tratamentos

Julho/2013

Mosquito do gênero Anopheles, principal vetor da malária. Foto: Fiocruz

Mosquito do gênero Anopheles, vetor da malária. Foto: Divulgação/Fiocruz

Por muitos séculos, cientistas debateram a causa e o melhor tratamento da malária.

Duas teorias sobre a sua transmissão – a de “ar ruim” e a de insetos vetores – foram amplamente aceitas em épocas diferentes, assim como os tratamentos variaram ao longo da história.

A evolução dos consensos científicos em malária são o tema do artigo Bad air, amulets and mosquitoes: 2,000 years of changing perspectives on malaria , publicado no Malaria Journal.

 

2011_numero02Conheça o que História, Ciências, Saúde – Manguinhos publicou sobre o tema:

Dossiê Malária

Artigos:

– “A malária em foto: imagens de campanhas e ações no Brasil da primeira metade do século XX”, de Gilberto Hochman,  Maria Teresa Bandeira de Mello e Paulo Roberto Elian dos Santos

– “Ferrovias, doenças e medicina tropical no Brasil da Primeira República”, de Jaime Larry Benchimol e André Felipe Cândido da Silva

– “As representações da malária na obra de João Guimarães Rosa”, de Norinne Lacerda-Queiroz, Antônio Queiroz Sobrinho e Antônio Lúcio Teixeira

– “Combatendo nazistas e mosquitos: militares norte-americanos no Nordeste brasileiro (1941-45)”, de André Luiz Vieira de Campos

– “Retratos do Brasil: uma coleção do Rockefeller Archive Center”, de Aline Lopes de Lacerda

– “Las ‘fiebres del Magdalena’:medicina y sociedad en la construcción de una noción médica colombiana, 1859-1886″, de Claudia Mónica García

– “O Plano de Saneamento da Amazônia (1940-1942)”, de Rômulo de Paula Andrade e Gilberto Hochman

Leave a Reply