Iphan e Ibram abrem programação do bicentenário de Aleijadinho

Novembro/2014

aleijadinho-1000-a

Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas.
Foto de Carlos Alberto/Imprensa MG

Há duzentos anos, falecia Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, um dos maiores artistas da arte barroca colonial brasileira. Para homenagear sua obra e comemorar o bicentenário de sua morte, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) oferecem ampla programação em Minas Gerais e, sobretudo, em Ouro Preto, cidade onde ele nasceu e onde estão algumas de suas obras mais famosas. Na histórica cidade mineira, até 21 de novembro, o Iphan oferece o seminário “Aleijadinho e os próximos 100 anos”, com palestras temáticas sobre o mestre, suas obras e o barroco brasileiro. Além disso, ao longo da semana, há oficinas de educação patrimonial que buscam promover o conhecimento e valorização da arte barroca ouro-pretana. Também haverá o lançamento do livro “Antônio Francisco Lisboa: Moldagens de gesso como instrumento de preservação da sua obra”, na quarta-feira (19/11), e a exposição “Olhares sobre Aleijadinho”, na plataforma da Estação de Ouro Preto, no sábado (22/11). Outra iniciativa realizada na semana comemorativa a Aleijadinho é a restauração da Matriz. Construída entre 1727 e 1746 com projeto e execução de Manuel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho, a paróquia é uma das mais antigas de Minas Gerais e caracteriza-se como um dos elementos de maior representatividade da arquitetura barroca brasileira. Ela receberá recursos do PAC Cidades Históricas e passará os próximos dois anos pela maior intervenção restaurativa estrutural e arquitetônica. Entre as ações da primeira etapa está a implantação de reservatório de água para a inserção de quatro hidrantes no entorno da matriz, o que amplia sua rede de segurança ao seu entorno imediato e bairro Antônio Dias. O investimento previsto para as três fases da restauração é de aproximadamente R$ 6,5 milhões. Museu para o mestre Ouro Preto também será sede, na terça-feira (18/11), da reunião da Comissão Aleijadinho, criada pelo Ibram e pelo Iphan em agosto passado. A Comissão Especial de Assessoramento sobre a obra de Antônio Francisco Lisboa é composta por três profissionais que conhecem aspectos históricos, artísticos, tecnológicos e jurídico-institucionais da obra do artista. O objetivo é subsidiar as instituições federais sobre medidas a serem adotadas para consolidar e promover o conhecimento e a proteção da obra do artista. Um dos próximos passos para a preservação e divulgação do legado de Aleijadinho será a criação, por meio de convênio entre Ibram, Iphan e a prefeitura local, de um novo museu dedicado à obra do artista no município de Matosinhos (MG). Semana do Aleijadinho Criada em 1968, mesmo ano da fundação do Museu Aleijadinho, com iniciativa da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição em Ouro Preto, a Semana do Aleijadinho tem a finalidade de homenagear o grande ícone do Barroco Mineiro. Também busca contribuir para a preservação da memória artística, histórica e cultural do estado e valorizar os artistas contemporâneos. Um dos mais importantes escultores do Brasil colônia, Aleijadinho nasceu no século XVIII. O apelido veio de uma doença que causou deformidades em seu corpo. Suas obras estão em Minas Gerais, nas cidades de Ouro Preto, Sabará, São João del Rei e Congonhas. Entre as mais famosas, constam a da Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto, e o Santuário do Bom Jesus do Matosinhos, em Congonhas, onde estão as esculturas dos doze profetas. Confira a programação do Iphan Leia artigo sobre Aleijadinho escrito pelo presidente do Ibram, Ângelo Oswaldo Faça uma vistia virtual na basílica Bom Jesus de Matosinhos Fonte: Assessoria de Comunicação / Ministério da Cultura Com informações do Ibram e Iphan

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *