Ilustrador, historiadora e bióloga debatem iluminismo, Mata Atlântica, coleções e museus

Abril/2014

pauloormindo_Cochospermum vitifolium

Cochospermum vitifolium por Paulo Ormindo.
Clique para ampliar.

O ilustrador Paulo Ormindo, a historiadora Lorelai Kury e a bióloga Magali Romero Sá debatem o Iluminismo luso-brasileiro, a Mata Atlântica e as coleções em jardins botânicos e suas representações em museus neste sábado, 23 de abril, às 10h, no Museu do Meio Ambiente, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

A mesa redonda marca o encerramento da exposição Mata Atlântica – Ciência e Arte, que termina no domingo, 24.

Paulo Ormindo é curador da exposição. Especialista em Ilustração Botânica pelo Royal Botanic Gardens, Kew – Inglaterra, e mestre em Ciência da Arte pela UFF, é professor do curso de Belas Artes da UFRRJ e professor convidado de Ilustração Botânica da Escola Nacional de Botânica Tropical do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Lorelai Kury é doutora em História e Civilização pela École des Hautes Études en Sciences Sociales. Professora da Casa de Oswaldo Cruz (COC-Fiocruz) e da UERJ, é também pesquisadora titular da Fundação Oswaldo Cruz.

Magali Romero Sá, bióloga, doutora em História e Filosofia da Ciência pela University of Durham, é pesquisadora titular da Fundação Oswaldo Cruz. Atualmente é Vice-Diretora de Pesquisa, Educação e Divulgação Científica da COC-Fiocruz.

Fonte: Newsletter do Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Leia em HCS-Manguinhos:

Homens de ciência no Brasil: impérios coloniais e circulação de informações (1780-1810). Kury, Lorelai. vol.11, suppl.1, 2004

Ciência e nação: romantismo e história natural na obra de E. J. da Silva Maia. Kury, Lorelai. vol.5, no.2, out 1998

Viajantes-naturalistas no Brasil oitocentista: experiência, relato e imagem, Kury, Lorelai, vol.8, 2001

O botânico e o mecenas:João Barbosa Rodrigues e a ciência no Brasil na segunda metade do século XIX.Sá, Magali Romero. 2001, vol.8

A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica Brasileira. Sá, Magali Romero, vol.3, no.3, nov 1996

Um caminho para a ciência: a trajetória da botânica Leda Dau, Azevedo, Nara, Cortes, Bianca Antunes and Sá, Magali Romero . 2008, vol.15

O descanso dos naturalistas: uma análise de cenas na iconografia oitocentista, Antunes, Anderson Pereira; Moreira, Ildeu de Castro; Massarani, Luisa Medeiros, vol.22, no.3 , jul./set. 2015

O inventário das curiosidades botânicas da Nouvelle France de Pierre-François-Xavier de Charlevoix (1744). Kobelinski, Michel.  Mar 2013, vol.20, no.1

Antônio Moniz de Souza, o ‘Homem da Natureza Brasileira’: ciência e plantas medicinais no início do século XIX. Santos, Laura Carvalho dos.  Dez 2008, vol.15, no.4

Conciliar o útil ao agradável e fazer ciência: Jardim Botânico do Rio de Janeiro – 1808 a 1860. Bediaga, Begonha. Dez 2007, vol.14, no.4

Richard Spruce, botânico e desbravador da América do Sul. Seaward, Mark R. D.  vol.7, no.2, out 2000,

A natureza e a cultura no compasso de um naturalista do século XIX: Wallace e a Amazônia, artigo de José Jerônimo de Alencar Alves (vol.18, no.3, set 2011)

Naturalistas viajantes, artigo de Miriam L. Moreira Leite (vol.1, no.2, fev 1995)

O Brasil no relato de viagens do comandante Robert FitzRoy do HMS Beagle, 1828-1839 – Artigo de Gabriel Passetti (vol.21, n.3, set 2014)

Memórias partilhadas: os relatos dos viajantes oitocentistas e a idéia de “civilização do cacau”,artigo de Lucia Maria Paschoal Guimarães (vol.8, 2001)

História e natureza em von Martius: esquadrinhando o Brasil para construir a nação, artigo de Manoel Luiz Salgado Guimarães (vol.7, no.2, out 2000)

Narrativas e imagens dos viajantes alemães no Brasil do século XIX: a construção do imaginário sobre os povos indígenas, a história e a nação, artigo de Ana Luisa Fayet Sallas (vol.17 no.2 abr./jun. 2010)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *