'Estética e política da infância em Mário de Andrade' é tema do Encontro às Quintas

Abril/2015

Alejandra Josiowicz

Alejandra Josiowicz

Estética e Política da Infância na obra do ensaísta, poeta e escritor Mário de Andrade, ícone do movimento modernista brasileiro, será o tema da pesquisadora Alejandra Josiowicz no próximo Encontro às Quintas, nesta quinta, 16/4, às 10h, na sala 401 do Prédio da Expansão da Fiocruz (Av. Brasil, 4036, Rio de Janeiro). O trabalho analisa a infância em Mário de Andrade em dois níveis – suas intervenções político-culturais e sua produção literária e escritos não ficcionais – e tem como cenário a conjunção de uma série de preocupações sociais e raciais com interesses sociológicos, etnográficos e reflexões estéticas sobre a infância no Brasil das décadas de 1920 e 1930. Em termos de sua atuação político-cultural, Mário de Andrade será relacionado com os reformadores sociais, médicos e juristas brasileiros dedicados à proteção da criança pobre, vista como o “futuro da nação”, no contexto de um movimento mundial e hemisférico a favor dos direitos da criança. Sua produção literária e não ficcional será o pano de fundo para examinar a cena de infância como incorporação de temas e linguagens populares, e a exposição de hierarquias sociais, raciais e culturais. Através de seus múltiplos níveis estético-políticos, a infância em Mário de Andrade contribui para uma revelação do excluído e marginado em termos de raça e classe social, ao mesmo tempo que se torna partícipe da formação de uma nova cultura brasileira. Especialista em estudos sobre a política da infância na literatura infantil latino-americana, com foco no Caribe, Argentina e Brasil, Alejandra Josiowicz é pós doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde/COC e professora assistente do Department of Foreign Languages da Rutgers University (Camden, New Jersey, EUA).  Entre seus artigos destacam-se “Estética de la infancia en Mário de Andrade: hacia uma política de la inmanencia y lo común” (LANDA, Revista do Núcleo Onetti de Estudos Literários Latino-Americanos, 2014) e “La escritora que mató a los peces. Escritura, género y mercado en Brasil (1967-1978): un estudio de la literatura infantil de Clarice Lispector” (Revista Iberoamericana, 2013). Fonte: Casa de Oswaldo Cruz Leia em HCS-Manguinhos: Tradição, memória e arquivo da brasilidade: sobre o inconsciente em Mário de Andrade, artigo de Joel Birman (vol.16 n.1 jan./mar. 2009) Malária como doença e perspectiva cultural nas viagens de Carlos Chagas e Mário de Andrade à Amazônia, artigo de Nísia Trindade Lima e André Botelho (vol.20, n.3, jul./set. 2013)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *