Duas edições no ar

Glauber Gonçalves capas_revista_hcsA revista Histórica, Ciências, Saúde – Manguinhos está com dois novos números disponíveis no portal Scielo. Além de um suplemento sobre divulgação científica, também está no ar uma edição com temática variada: aborda desde a origem das plantas transgênicas nos anos 1970 ao bioterrorismo, passando por assuntos como o discurso demófobo na classe política brasileira durante a Primeira República e sua influência no processo de transferência da capital do Rio de Janeiro para o centro do País. O suplemento Ciência e seus públicos traz uma série de análises sobre a repercussão de temas científicos nos veículos de comunicação em diversos períodos da História (leia a Carta do Editor). Um dos artigos analisou a Revista Popular, publicação editada entre 1859 e 1862, que desempenhou importante papel na difusão de informações sobre o delineamento de uma possível ciência nacional para um público mais amplo, externo aos círculos intelectuais. No artigo Controvérsia científica no telejornalismo brasileiro: um estudo sobre a cobertura das células-tronco no Jornal Nacional, as autoras mostram que o noticiário enfatizou os potenciais benefícios oferecidos pela pesquisa nessa área e omitiu as limitações e riscos envolvidos. Outro texto aborda um debate trazido a público pelo Jornal do Commercio no fim do século 19 sobre as medidas tomadas pelo governo para evitar a chegada da peste bubônica ao Brasil. imagemPBNa seção Imagens, os autores do artigo A fotografia e seus duplos: um quadro na parede tratam das transformações no campo da fotografia e suas relações com outros tipos de imagem, por meio da análise de três fotos clássicas. Uma delas, de Margaret Bourke-White, publicada na revista Life, em 1937, nos Estados Unidos, retrata uma fila de homens e mulheres negros, refugiados de enchentes, diante de um outdoor que mostra uma família branca sorridente, em viagem de férias em seu carro. Plantas transgênicas, funções do cérebro e assistência psiquiátrica O artigo que abre a outra edição de HCS-ManguinhosAnomalías em los comienzos de la transgénesis vegetal: interesses e interpretaciones em torno a las primeras plantas transgénicas fala sobre os conflitos que envolveram a criação dos organismos geneticamente modificados. O autor evidencia que os cientistas articularam diferentes representações sobre a transgênese vegetal, atribuindo valores distintos às anomalias verificadas nos primeiros experimentos. Outro texto nessa edição foca o livro Funções do cérebro, do médico Domingos Guedes Cabral, reconhecido como um dos primeiros trabalhos brasileiros a defender teorias darwinistas. A obra é de 1876, 17 anos após a publicação da primeira edição de A origem das espécies. Os resultados do estudo apontam para o uso do evolucionismo como parte tanto de um projeto ideológico quanto de uma teoria eugênica incipiente, que seria desenvolvida mais tarde, no início do século 20. Destaca-se também nessa edição um texto sobre as transformações na assistência psiquiátrica em Santa Catarina a partir da década de 1970, ápice da superlotação no Hospital Colônia Sant’ana, ao qual a autora se refere como “depósito de gente” no título do artigo. As páginas de HCS-Manguinhos também dão espaço para uma análise das práticas biomédicas do Gabinete Biométrico da Escola de Educação Física do Exército, no Rio de Janeiro, nas décadas de 1930 e 1940. O artigo revela que biometria e biotipologia foram mobilizadas complementarmente pela educação física, objetivando a normatização dos corpos.  O ano de 2013 foi marcado pelo lançamento do blog e das redes sociais da revista, destaques da Carta do Editor desta edição. As duas edições trazem uma série de outros artigos, todos disponíveis online. Sumário da HCSM, v.20, suplemento Sumário da HCSM, v.20, n.4  

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *