Degeneração e eugenia na história da psiquiatria brasileira

Setembro/2018

Degeneração e eugenia na história da psiquiatria brasileira: Renato Kehl e os degenerados hereditários é o título do artigo de Sandra Caponi, professora da Universidade Federal de Santa Catarina, na atual edição de HCS-Manguinhos (v.25, supl.1, 2018). O artigo, disponível em espanhol, analisa como se articulam as noções de degeneração e eugenia no campo da psiquiatria nas primeiras décadas do século XX, destacando a existência de semelhanças e continuidades, mas também apontando diferenças e divergências. Naquele momento particular na história da psiquiatria brasileira, argumentos da teoria da degeneração e intervenções eugênicas se sobrepõem e se confundem. O eixo de discussão, entre outros textos, é o trabalho de Renato Kehl intitulado “Uma esterilização de dois grandes degenerados e criminosos”.
Leia em HCS-Manguinhos:
Degeneração e eugenia na história da psiquiatria brasileira: Renato Kehl e os degenerados hereditáriosSandra Caponi (v.25, supl.1, 2018)
Sumário da edição sobre eugenia na Europa mediterrânea e América Latina (vol.25, supl.1, ago. 2018)
A eugenia brasileira e suas conexões internacionais: uma análise a partir das controvérsias entre Renato Kehl e Edgard Roquette-Pinto, 1920-1930, Vanderlei Sebastião de Souza (vol.23, supl.1, dez. 2016)
Ciência e miscigenação racial no início do século XX: debates e controvérsias de Edgard Roquette-Pinto com a antropologia física norte-americana, Vanderlei Sebastião de Souza (vol.23, n.3, jul./set. 2016)
Sumário da edição especial “A eugenia latina em contexto transnacional” (vol.23, supl.1, dez. 2016)
Entre o exame do corpo infantil e a conformação da norma racial: aspectos da atuação da Inspeção Médica Escolar em São PauloRocha, Heloísa Helena Pimenta. Abr 2015, vol.22, no.2
Um Brasil melhor, Lesser, Jeffrey. Mar 2014, vol.21, no.1
Ciência, estética e raça: observando imagens e textos no periódico O Brasil Médico , 1928-1945Silva, Eliana Gesteira da and Fonseca, Alexandre Brasil. Nov 2013, vol.20, supl.1
O cientificismo das teorias raciais em O cortiço e Canaã. Tamano, Luana Tieko Omena et al. Set 2011, vol.18, no.3
Dilemas de uma etnografia da classificação racial em espaços institucionais. Cecchetto, Fátima. Mar 2011, vol.18, no.1
Charbel Physical anthropology and the description of the ‘savage’ in the Brazilian Anthropological Exhibition of 1882. Sánchez Arteaga, Juanma and Niño El-Hani. June 2010, vol.17, no.2
Arthur Neiva e a ‘questão nacional’ nos anos 1910 e 1920Souza, Vanderlei Sebastião de. Jul 2009, vol.16, supl.1
Do racismo clássico ao neo-racismo politicamento correto: a persistência de um erroLewgoy, Bernardo. Jun 2006, vol.13, no.2
Dossiê Raça, Genética, Identidades e Saúde (ago 2005, vol.12, no.2):
Tempos de racialização: o caso da ‘saúde da população negra’ no Brasil. Maio, Marcos Chor and Monteiro, Simone. Ago 2005, vol.12, no.2
Raça, genética & hipertensão: nova genética ou velha eugenia?Josué, Laguardia. Ago 2005, vol.12, no.2
Razões para banir o conceito de raça da medicina brasileiraPena, Sérgio D. J. Ago 2005, vol.12, no.2
O significado da anemia falciforme no contexto da ‘política racial’ do governo brasileiro 1995-2004Fry, Peter H. Ago 2005, vol.12, no.2
Natureza humana criada em laboratório: biologização e genetização do parentesco nas novas tecnologias reprodutivasLuna, Naara
Antropologia, raça e os dilemas das identidades na era da genômicaSantos, Ricardo Ventura; Maio, Marcos Chor
E ainda em HCS-Manguinhos:
Política social e racismo como desafios para historiadores da educaçãoFreitas, Marcos Cezar de. Dez 2004, vol.11, no.3
Ciência e racismo: uma leitura crítica de Raça e assimilação em Oliveira ViannaRamos, Jair de Souza. Ago 2003, vol.10, no.2
“De pequenino é que se torce o pepino”: a infância nos programas eugênicos da Liga Brasileira de Higiene MentalReis, José Roberto Franco. Jun 2000, vol.7, no.1
O Brasil no concerto das nações: a luta contra o racismo nos primórdios da UnescoMaio, Marcos Chor. Out 1998, vol.5, no.2
O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil, 1870-1930. Maio, Marcos Chor and Santos, Ricardo Ventura. Out 1994, vol.1, no.1
Leia no Blog de HCS-Manguinhos:
HCS-Manguinhos debate eugenia na Europa mediterrânea e América Latina
Tema emergente no campo da pesquisa acadêmica, a eugenia na Europa mediterrânea e na América Latina é a pauta do suplemento de agosto de 2018 de História, Ciências, Saúde – Manguinhos.
Renato Kehl e Roquette-Pinto: controvérsias na eugenia brasileira
Vanderlei Sebastião de Souza fala sobre seu artigo em HCS-Manguinhos
Roquette-Pinto e a valorização da mestiçagem
Vanderlei Sebastião de Souza mostra o esforço científico do antropólogo na defesa da miscigenação do povo brasileiro
O Brasil mestiço e viável de Roquette-Pinto
Anpuh premia tese de Vanderlei Sebastião de Souza sobre o “retrato racial” do brasileiro feito por Edgard Roquette-Pinto
Pai da eugenia no Brasil ficou obscuro na história
Defensor da ‘higiene racial’, o médico Renato Kehl assumiu a propaganda eugênica como missão política e intelectual entre 1917 e 1940
Varia Historia traz dossiê sobre ciência, raça e eugenia na segunda metade do século XX
Veja também o que HCS-Manguinhos já publicou sobre o tema

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *