De Jane Marcet a António Girão: conversas sobre química, traduções e gênero no século XIX

Julho/2018

Ao aventurar-se a apresentar ao público, e mais particularmente ao sexo feminino, uma introdução à química, a autora, ela própria uma mulher, reconhece que uma explicação pode ser necessária; e pensa ser necessário pedir desculpa pelo presente empreendimento, pois o seu conhecimento da matéria é ainda recente, e porque não é digna do título de química. … Mas tendo em frequentes ocasiões conversado com um amigo sobre química, e repetido uma variedade de experiências, ela tornou-se mais familiarizada com os princípios dessa ciência, e começou a sentir-se bastante interessada em segui-la (Jane Marcet, 1806, prefácio).

Jane Marcet

A descoberta de que um marco importante da divulgação da Química – o livro “Conversations on Chemistry”, de Jane Marcet, publicado em 1806, foi adaptado para o português em 1834 por António Girão, visconde de Vilarinho de São Romão, através da tradução da adaptação em francês de Anselme Payen de 1825, motivou Isabel Marília Peres, da Universidade de Lisboa, e Sérgio Rodrigues, da Universidade de Coimbra, Portugal, a analisarem o conteúdo científico e as circunstâncias da publicação da obra de Girão, no contexto das diversas formas em que foi adaptada em diferentes datas e países.

No artigo De Jane Marcet a António Girão: conversas sobre química, traduções e gênero no século XIX, publicado na atual edição de HCS-Manguinhos (vol.25, no.2, abr./jun. 2018), os pesquisadores explicam que fizeram uma compilação das edições e adaptações acessíveis em bibliotecas públicas de todo o mundo e analisaram problemáticas da autoria, tradução e adaptação, assim como questões de gênero envolvidas na edição científica no século XIX.

Segundo os pesquisadores, a tradução de Girão foi realizada enquanto esteve escondido, por razões políticas, por mais de cinco anos, período no qual escreveu diversas obras. A tradução, revelam, foi enriquecida com muitas notas e um novo capítulo, com o propósito de servir de manual de ensino e de contribuir para o desenvolvimento de Portugal através da divulgação de processos e artes químicas.

Leia em HCS-Manguinhos:

De Jane Marcet a António Girão: conversas sobre química, traduções e gênero no século XIX, artigo de Isabel Marília Peres e Sérgio Rodrigues (vol.25, no.2, abr./jun. 2018)

Como citar este post:

De Jane Marcet a António Girão: conversas sobre química, traduções e gênero no século XIX, Blog da revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 2018. Publicado em 20 de julho de 2018. Acesso em 20 de julho de 2018. Disponível em  www.revistahcsm.coc.fiocruz.br/de-jane-marcet-a-antonio-girao-conversas-sobre-quimica-traducoes-e-genero-no-seculo-xix

Leave a Reply