Cultura: pelo cérebro ou no cérebro?

Dezembro/2016

brain_culture_thumb

Imagem: reprodução (Pixabay)

Desde a década de 1990, várias disciplinas surgiram na interface entre neurociência e as ciências sociais e humanas. A maior parte delas procura capturar as semelhanças subjacentes à heterogeneidade de comportamentos e experiências humanas. As chamadas “neurodisciplinas da cultura” – neuroantropologia e neurociência cultural – parecem à primeira vista diferentes, uma vez que seus objetivos são compreender as especificidades em vez das semelhanças e abordar como as diferenças culturais são inscritas no cérebro. O artigo Cultura: pelo cérebro ou no cérebro?, publicado em inglês nesta edição de HCS-Manguinhos (vol.23, n.4, out/dez 2016), oferece uma visão geral dessas disciplinas e de sua relação com áreas como a psicologia cultural e a neurociência social. De autoria de Francisco Ortega, professor do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, e Fernando Vidal, professor do Catalan Institution for Research and Advanced Studies e do Centro de Historia de la Ciencia da Universitat Autònoma de Barcelona, o artigo discute alguns dos estudos mais representativos na área, a fim de explorar de que forma são relevantes para a compreensão da cultura. Leia em HCS-Manguinhos: Cultura: pelo cérebro ou no cérebro?, artigo de Francisco Ortega e Fernando Vidal (vol.23, n.4, out/dez 2016).      

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *