Conselho Deliberativo da Fiocruz divulga nota de apoio aos moradores da Maré

Reunião do Conselho Deliberativo da Fiocruz Foto de Peter Illiciev

Reunião do Conselho Deliberativo da Fiocruz
Foto de Peter Illiciev

O Conselho Deliberativo da Fiocruz, em reunião nesta sexta-feira (28/6), manifestou a solidariedade da instituição à comunidade da Maré, no Rio de Janeiro. Esta semana, uma ação policial deixou mortos e feridos no local, que fica no entorno do campus-sede da Fundação, em Manguinhos. Abaixo, a íntegra da nota divulgada pelo Conselho: “A Fiocruz, por meio de posicionamento unânime do seu Conselho Deliberativo, em reunião realizada nesta sexta-feira (28/6), manifesta solidariedade aos moradores da comunidade da Maré em razão dos eventos registrados nesta semana na região em que uma ação policial resultou em vítimas fatais e colocou em risco a vida e a integridade das pessoas. Somos contrários à violência de toda natureza e, neste caso da Maré, nos posicionamos contrariamente à violência gerada no âmbito das instituições de Estado. Trata-se do inverso do que se espera de uma política de segurança para a defesa efetiva da população. Faz-se necessário uma apuração rigorosa e transparente do episódio por parte da Secretaria de Segurança e da Justiça, com punição de possíveis culpados. O enfrentamento da criminalidade deve ser pautado por políticas públicas e nos termos do Estado Democrático de Direito, mas nunca ferindo os direitos e a segurança da população. Há anos nossa instituição mantém laços com as comunidades do seu entorno e entende que a presença permanente do Estado na região deve ser pautada por ações voltadas para a superação das condições de vulnerabilidade dessas populações, onde o direito à livre expressão, às reivindicações, à manifestação e ainda à segurança seja compreendido como condição permanente e fundamental para o pleno exercício da cidadania.” Fonte: CCS/Fiocruz Leia mais: Professores universitários do Rio divulgam Carta Editor vai às ruas e vivencia a História , por Jaime Benchimol Porque eu gosto das segundas-feiras, por Marcelo Badaró José Murilo de Carvalho: povo brasileiro despertou da letargia Em praça pública para construir uma pauta coletiva, entrevista com Angélica Müller ‘Mais do que narrar esses eventos, precisamos vivê-los intensamente’, entrevista com Valdei Araujo. Chomsky: “Estou com os manifestantes do Brasil”– Linguista responde pergunta de repórter do Canal Ibase no Forum Global de Mídia em Bonn.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *