Casa de Oswaldo Cruz realiza seminário ‘Pólio nunca mais’

Outubro/2015

polio_nunca_mais

Clique para ver a programação

Será realizado em 27 e 28 de outubro, na Fiocruz, no Rio, o seminário Pólio Nunca Mais – 21 anos de erradicação da poliomielite no Brasil, que comemora o fim da transmissão do poliovírus selvagem nas Américas, declarada em agosto de 1994, em Washington, pela Comissão Internacional para a Certificação da Erradicação da Poliomielite (CICEP). O seminário contará com a participação de estudiosos da história da poliomielite na América Latina e Caribe e de protagonistas no processo de erradicação da doença. Uma exposição reforçará a importância da prevenção de doenças evitáveis por imunização.

De acordo com os organizadores do evento, a erradicação da pólio foi possível graças à vacinação das pessoas, intervenção de excelente custo-efetividade em saúde pública. Contudo, considerando a ameaça de propagação internacional do poliovirus selvagem a partir da Ásia Central, do Oriente Médio e da África Central, declarada como Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional pela Organização Mundial de Saúde em maio de 2014, e a baixa adesão às campanhas de vacinação contra a gripe em 2014 e 2015 no Rio de Janeiro, os especialistas consideram relevante relembrar o processo histórico da poliomielite e discutir a situação atual e perspectivas nos âmbitos nacional e global.

De acordo com Dilene Raimundo do Nascimento, professora da Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz e organizadora do seminário, a vacinação foi uma ação de sucesso que, além de erradicar a doença no continente americano – primeiro a eliminar o vírus selvagem da pólio -, contribuiu para desenvolver uma cultura da prevenção de doenças evitáveis por imunização.

“A preocupação com a ameaça de propagação internacional do poliovírus selvagem a partir da Ásia Central, do Oriente Médio e da África Central indica que o mundo ainda não está livre da doença e sobre isso temos que chamar atenção. A discussão acadêmica que incorpora os protagonistas dessa história e pessoas atingidas pela pólio contribui para resgatar a sua problemática, o que significa compreender historicamente uma doença que condena crianças – as principais vítimas – à paralisia e dependência permanentes”, afirma.

O seminário também analisará a trajetória de campanhas de vacinação enquanto política governamental e as inter-relações institucionais nacionais e internacionais em jogo nas decisões políticas em saúde.

polio

Capa do dossiê sobre pólio em HCS-Manguinhos. Clique para acessar.

Dilene destaca a criação da Rede Ibero Americana de Estudos Históricos sobre a Poliomielite e a Síndrome Pós-Pólio, da qual participam pesquisadores de universidades e centros de pesquisa do Brasil, da Espanha, de Portugal, da Argentina, do México e de Cuba. O dossiê sobre pólio publicado na última edição de HCS-Manguinhos é resultado das articulações da Rede.

“A divulgação desses estudos chamam a atenção de outros estudiosos também no sentido de não permitir que a poliomielite volte a existir no continente americano. Uma revista como a HCS-Manguinhos, que tem uma extensa difusão entre os estudiosos da história das ciências, com certeza contribui para chamar a atenção de que devemos estar atentos e cientes de que o setor da saúde tem capacidade de enfrentar problemas que atingem a população quando a decisão política é tomada”, ressalta.

Dilene menciona ainda a importância da Síndrome Pós-Pólio, que acomete aqueles que tiveram poliomielite há décadas e ainda não dispõe de enfrentamento amplo e efetivo pelo setor da saúde.

Programação:

Seminário Pólio Nunca Mais – 21 anos de erradicação da poliomielite no Brasil

Dia 27 de outubro de 2015

Local: Auditório do Museu da Vida/COC/Fiocruz – Campus da Fiocruz
Av. Brasil, 4365- Manguinhos- Rio de Janeiro- RJ- Brasil

9h30 às 9h45 – Mesa de Abertura

10h00 às 11h00 – Conferência de abertura
Samia Abdul Samad (OPAS/OMS)
Situação atual e perspectivas da erradicação da poliomielite
Coordenador: Dilene Raimundo do Nascimento

Intervalo para almoço

14h00 às 16h30 – Mesa 1: A história da poliomielite na América Latina e Caribe
Enrique Beldarráin Chaple (CNICM/Cuba) – La eliminación de la poliomielitis en Cuba
Adriana Alvarez (UNMdP/Argentina) – Hacia una mirada global de la Poliomielitis en Argentina, Chile y Uruguay
Dilene Raimundo do Nascimento (COC/FIOCRUZ/Brasil) – As campanhas de controle e erradicação da pólio no Brasil
Coordenador: Tânia Maria Dias Fernandes (COC/FIOCRUZ/Brasil)

16h30 – Exposição: “Pólio Nunca Mais”

Dia 28 de outubro de 2015

Local: Auditório do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde/COC – Prédio da Expansão
Av. Brasil, 4036/4º andar, Manguinhos, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

9h00 às 11h00 – Mesa 2: Vacinas, diagnóstico e vigilância no enfrentamento da pólio
Akira Homma (Biomanguinhos/Fiocruz) – A produção e reformulação da vacina Sabin
Edson Elias da Silva (IOC/Fiocruz) – O diagnóstico laboratorial da poliomielite
Carla Domingues (SVS/MS) – A vigilância epidemiológica da poliomielite
Coordenador: José Fernando de Souza Verani (ENSP/Fiocruz)

11h00 às 13h00 – Mesa 3: Controle e erradicação da pólio no Brasil
Maria de Lourdes Souza Maia (Biomanguinhos/Fiocruz) – Programa Nacional de Imunização
João Baptista Risi Filho (Ministério da Saúde) – Dias Nacionais de Vacinação
Wan Yu Chih (Rotary SC) – O papel do Rotary na erradicação da pólio no Brasil
Coordenadora: Tânia Salgado Pimenta (COC/Fiocruz)

Intervalo para almoço

14h00 às 16h30 – Mesa 4: A experiência da pólio e síndrome pós-pólio no Brasil
Tania Rodrigues (Alerj/Rio de Janeiro) – A experiência da doença e da reabilitação
Pedro Carlos de M. S. Pinheiro (Hospital Municipal Jesus/Rio de Janeiro) – A assistência aos acometidos de pólio nos anos 70
Acary Oliveira (Unifesp/São Paulo) – A síndrome pós-pólio
Solane Leonor Carvalho de Lima (ABRASPP/Rio de Janeiro) – Movimento associativo dos acometidos pela síndrome pós-polio
Coordenadora: Diana Maul (UFRJ/Rio de Janeiro)

16h30 –Encerramento

Leia no blog de HCS-Manguinhos:

Histórias da pólio na América Latina
Adriana Alvarez, da Universidade Nacional de Mar del Plata, fala sobre o dossiê publicado emHCS-Manguinhos.

Artigos do dossiê ‘Historias de la poliomielitis’:

Lo ganado y lo perdido después de dos décadas desde que América Latina fue declarada zona libre de poliomielitis, artigo de Adriana Alvarez e Dilene Raimundo do Nascimento

Políticas sanitarias locales puestas a prueba: consultores, expertos, misiones internacionales y poliomielitis en España, 1950-1975, artigo de Rosa Ballester, María Isabel Porras, María José Báguena. Também disponível em inglês.

Los desafíos médicos, sociales e institucionales que dejó la poliomielitis: la rehabilitación integral en la Argentina de mediados del siglo XX, artigo de Adriana Alvarez

Una batalla ganada: la eliminación de la poliomielitis en Cuba, artigo de Enrique Beldarraín Chaple

Una enfermedad lejana: la información sobre poliomielitis y síndrome post-polio en la prensa hispanolusa, 1995-2009, artigo de Juan Antonio Rodríguez Sánchez, Inês Guerra Santos

Poliomielite: várias histórias da doença e de seus efeitos tardios, resenha de Lina Faria do livro A história da poliomielite, de Dilene Raimundo do Nascimento (Garamond, 2010).

Leia também em HCS-Manguinhos:

A história da poliomielite no Brasil e seu controle por imunização, artigo de André Luiz Vieira de Campos, Dilene Raimundo do Nascimento e Eduardo Maranhão (v.10, supl.2, 2003)

Erradicação da poliomielite no Brasil: a contribuição da Fundação Oswaldo Cruz, artigo de Hermann G. Schatzmayr, Ana Maria Bispo de Filippis, Fabian Friedrich (v.9, no.1, Abr 2002)

Saiba mais:

Biblioteca Virtual História da Poliomielite

 

Leave a Reply