Brasil-França: intercâmbios acadêmicos nos estudos do futebol

27 de maio/2014

Acontece hoje, a partir das 14h, o evento “Brasil – França: intercâmbios acadêmicos nos estudos do futebol”, promovido pela Escola de Ciências Sociais (CPDOC-FGV) em parceria com o Consulado Geral da França no Rio de Janeiro e com apoio da CAPES.

Mesas-redondas

Mesa 1

14h15, auditório 1333

Da Copa de 1938 à Copa de 1998 – intercâmbios futebolísticos Brasil/França 

Palestrantes:

  • Paul Dietschy (Université de Franche-Comté/Science Po-Paris)
  • José Sérgio Leite Lopes (Museu Nacional/UFRJ)

Debatedora:

  • Simoni Guedes (UFF)

Mesa 2

16h30, auditório 1333

Tema: A Regulação do Hooliganismo na Europa e na América Latina 

Palestrantes:

  • Patrick Mignon (INSEP-Paris)
  • Fernando Segura M. Trejo (CIDE/México)

Debatedor:

  • Bernardo Buarque de Hollanda (FGV-CPDOC)

Encerramento

18h30, foyer do 9º Andar

Lançamento do livro “Holiganismo e Copa de 2014”, de Bernardo Buarque e Heloísa Reis (Orgs.). Rio de Janeiro: 7Letras/Capes, 2014.

Coquetel de Encerramento

Organizadores: Bernardo Buarque e Heloísa Reis

Leia em História, Ciências, Saúde – Manguinhos:

Formação de relações regionais em um contexto global: a rivalidade futebolística entre Rio de Janeiro e São Paulo durante a Primeira República – Artigo de Christina Peters que trata de identidades regionais e também discute o racismo no futebol

E  no blog de HCS-Manguinhos:

Macacos não jogam futebol
Ricardo Waizbort inocenta Darwin de acusações de racismo e explica que ele defendia que todas as “raças” humanas faziam parte de uma mesma espécie e compartilhavam um ancestral comum: um primata.

‘O x da questão não está na reação do jogador, mas no teor da campanha’
Para Clícea Maria Miranda, associação do negro com animalização e a irracionalidade está cristalizada.

 

Leave a Reply