"Brasil é um país de colonização mais africana do que europeia", diz historiador

Setembro/2013

Marina Castro | Opera Mundi

No primeiro evento do ciclo “Conversas sobre a África”, promovido pelo Instituto Lula, o historiador e professor da Sorbonne e da Fundação Getúlio Vargas Luiz Felipe de Alencastro ministrou nesta quarta-feira (04/09) aula com o tema “Escravidão e trabalho compulsório no Brasil”. Na ocasião, afirmou que o país recebeu oito vezes mais africanos do que portugueses até 1850, tornando sua colonização mais africana do que europeia.

“Entraram no Brasil 4,8 milhões de africanos escravizados, oito vezes mais do que os portugueses que chegaram aqui até 1850″, disse Alencastro. Segundo ele, isso corresponde a 43% do total de africanos que foram “deportados” de seu continente de origem, tornando o Brasil o país com mais afrodescentes fora da África, onde a maioria dos habitantes se declara afrodescendente, mas também o “campeão mundial” da escravidão.

Como comparação, Alencastro lembrou que os Estados Unidos, em cem anos de tráfico negreiro, foram o destino de 600 mil africanos, quantidade de pessoas oito vezes menor do que aquela que chegou ao Brasil. “O Brasil não é um país de colonização europeia, mas africana e europeia. Isso faz toda a diferença”, concluiu o professor.

Leia aqui a matéria completa

Fonte: Opera Mundi

Leia mais:

Como viviam e morriam os escravos no Brasil?
Treze artigos inéditos do suplemento Saúde e Escravidão da revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos revelam como viviam, adoeciam, eram curados ou morriam os escravos e libertos.
 

No comments

Trackbacks/Pingbacks

  1. A história da África é vista com preconceito - [...] – “Brasil é um país de colonização mais africana do que europeia&rdq... [...]

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *