Bela, recatada e do lar?

Dezembro/2018

A representação da mulher idealizada nos manuais de economia doméstica e das figuras femininas dos anúncios publicados nas revistas O Cruzeiro e Manchete entre as décadas de 1940 e 1960 é o tema de artigo publicado em HCS-Manguinhos (v.25, n.3, jul/set 2018) por Elizabete Mayumy Kobayashi, professora da Universidade do Vale do Paraíba e da Universidade Federal de São Paulo. Com propostas editoriais diferentes, os manuais e as revistas se voltavam – predominantemente – para mulheres que exerciam as funções de esposa, dona de casa, mãe e empregada doméstica. Apesar dessa nítida delimitação de papéis, havia uma tensão em torno da figura feminina que já não se mostrava tão resignada ao lar e já ocupava postos de trabalho na esfera pública. O consumo se transformaria no denominador comum entre essas diferentes mulheres. Os novos produtos garantiriam saúde, conforto e praticidade a todas.

Leia em HCS-Manguinhos:

A saúde via consumo: a representação idealizada das donas de casa, mães e esposas nos manuais de economia doméstica e nos anúncios das revistas O Cruzeiro e Manchete, 1940-1960, artigo de Elizabete Mayumy Kobayashi (v.25, n.3, jul/set 2018)

 

Leave a Reply