Artigos discutem intercâmbio científico entre o Brasil e a Alemanha nazista

Na primeira metade do século XX, as relações médico-científicas entre Brasil e Alemanha foram intensas. O tema foi tratado num dossiê publicado em 2013 e em diversos artigos ao longo dos anos, assim como em notícias publicadas neste blog

Livro percorre 150 anos de história da genética e da eugenia na Rússia

Robert Wegner, professor e pesquisador da Casa de Oswaldo Cruz, publica resenha da obra de Nikolai Krementsov nesta edição de HCS-Manguinhos.

Professores criam ferramentas para avaliar ações de homeopatia em Recife

Modelo teórico lógico preliminar possibilitou a formulação de uma matriz de critérios e indicadores

Homeopatia, contracultura e Nova Era no Brasil, anos 1970

Renata Palandri Sigolo, professora de História da UFSC, analisa a divulgação e a clientela da homeopatia no período que antecedeu a sua legitimação como especialidade médica, em 1980.

A extraordinária história de vida de Ana Maria Primavesi

A engenheira agrônoma Ana Maria Primavesi revolucionou a agricultura tropical no Brasil ao defender o manejo ecológico do solo. Por ocasião do seu falecimento, aos 99 anos de idade, em 5 de janeiro de 2020, indicamos artigo publicado na revista Estudos Avançados. Veja também o que a revista HCS-Manguinhos já publicou sobre agronomia.

Homeopatia e espiritismo no Rio Grande do Sul no início do século XX

Beatriz Teixeira Weber, professora do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Santa Maria, RS, analisa os contextos de interação entre homeopatas e práticos espíritas na primeira metade do século XX

Instrumentos, objetos e coleções como fontes para a história do ensino das ciências

Para a pesquisadora Inês Gomes, é preciso conhecer e estudar as coleções de história natural das escolas secundárias portuguesas, que encontram-se em situação de semiabandono

Hochman: reflexão sobre o exílio para se compreender o Brasil atual

Gilberto Hochman debruçou-se sobre as correspondências trocadas entre professores, assistentes e alunos da Faculdade de Medicina da USP para analisar a percepção dos cientistas brasileiros e as relações entre ciência e política durante o exílio de cientistas, principalmente entre 1964 e 1969. Também participaram do último Encontro às Quintas de 2019 os historiadores Denise Rollemberg e André Felipe Cândido da Silva.