Ética editorial – os intelectuais também tem que fazer referências bibliográficas

Devem os intelectuais de prestigio incluir em suas obras as referencias bibliográficas de suas fontes ou é por acaso a referência bibliográfica um tecnicismo arcaico?

Ensp/Fiocruz debate os 50 anos do golpe

Evento em 30 de abril terá debate, relançamento do livro ’50 anos desta noite’, de Eduardo de Azeredo Costa, e exposição da Anistia Internacional.

Revista HCSM discute o Sistema Único de Saúde

Primeiro número de 2014 também traz dossiê sobre o Brasil no contexto global de 1870 a 1945.

Medicina tropical será tema de simpósio no 14º Seminário Nacional de História da C&T

Evento promovido pela Sociedade Brasileira de História da Ciência serpa realizado de 8 a 11 de outubro, na UFMG.

1974: Revolução dos Cravos em Portugal

1974: Revolução dos Cravos em Portugal">

Pouco após a meia-noite de 25 de abril de 1974 começou a soar na emissora católica de Lisboa a música até então proibida “Grândola, Vila Morena”. Era o sinal combinado para o início do levante militar em Portugal.

Anonimato para quê?

Para Luciano Mendes de Faria Filho, o anonimato nas pesquisas em ciências humanas mais garante o apagamento da autoria, do pensamento e da expressão dos setores populares do que a fidedignidade dos dados.

Povo, praça, participação: 30 anos das Diretas Já

A mostra do Arquivo Público do Estado de São Paulo relembra o importante movimento político que trouxe a redemocratização ao país

Artigo sobre folha de coca está disponível em inglês em livro temático

Abril/2014 O artigo O uso da folha de coca em comunidades tradicionais: perspectivas em saúde, sociedade e cultura, de Ivan Farias Barreto, publicado em 2013 em História, Ciências, Saúde – Manguinhos (vol.20 n.2), está disponível em versão em inglês na segunda edição do livro digital The Coca Leaf Papers, editado pelo antropólogo Bill Drake. O livro...

Conep: cientistas sociais presos em camisa de força burocrática

Para o antropólogo Luiz Fernando Dias Duarte submissão das pesquisas em ciências sociais e humanas à lógica biomédica é descabida e autoritária.

Uma crítica aos atuais comitês de ética na pesquisa no Brasil

Em Carta aos Editores de HCS-Manguinhos, Luiz Antonio de Castro-Santos defende que pesquisas em ciências sociais e humanas sobre saúde não deveriam submeter-se às mesmas normas rígidas que estudos clínicos ou experimentos com humanos.